RIO DE JANEIRO

Trabalhadores da Saúde e Centrais Sindicais realizaram atos no Rio hoje

sexta-feira 10 de novembro| Edição do dia

Manifestantes realizam protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência Social no centro do Rio, nesta noite de sexta-feira, 10. Mais cedo os trabalhadores da saúde, categoria em greve, realizaram também um ato com por volta de 500 pessoas, segundo estimativa informal.

Organizado por entidades sindicais e da sociedade civil, o ato começou às 16h, ao redor da igreja da Candelária. Às 18h40 o grupo começou a ocupar a Avenida Rio Branco, por onde seguiria até a Cinelândia. O ato seguiu pacífico.

O atos convocados pelas centrais sindicais em todo o país estão muito aquém de derrotar as reformas, sua perspectiva, longe disso, é a de garantir seus próprios interesses enquanto traem abertamente aos trabalhadores.

Carolina Cacau, Professora da rede estadual e militante do MRT deu uma declaração sobre o ato: "Mais do que nunca é preciso que as centrais sindicais parem de jogar palavras ao vento e organizar uma nova mobilização para barrar a reforma trabalhista, a reforma da previdência organizada na base discutida nos locais de trabalho, com assembleias de base, com plenárias, se espelhar e apoiar as lutas em curso no Rio Grande do Sul, para enfrentar e derrotar as reformas."

Os trabalhadores da saúde municipal do Rio de Janeiro, que exercem sua função nas diferentes unidades de atenção primária, como postos de saúde e clínicas da família, estão em greve desde o dia 22 de outubro contra a possibilidade um corte de 20% nas verbas promovido pela gestão de Crivella.

As unidades básicas de saúde continuam abertas, porém com seu funcionamento reduzido durante o período de greve e sem afetar o atendimento ambulatorial e de emergência nos hospitais.




Tópicos relacionados

Crise no Rio de Janeiro   /    Reforma Trabalhista   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar