×

Eduardo Bolsonaro | Todo repúdio ao tweet nojento de Eduardo Bolsonaro sobre tortura sofrida por Miriam Leitão

Neste domingo, 03/04, Eduardo Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro, fez uma publicação no twitter atacando a jornalista Miriam Leitão. Eduardo fez um tweet ironizando a tortura sofrida pela jornalista em resposta à última coluna dela pelo O Globo. O conteúdo do tweet do filho do presidente foi “Ainda com pena da (emoji de cobra)…”

terça-feira 5 de abril | Edição do dia

O tweet é uma clara banalização dos crimes da ditadura militar que ocorreram no Brasil. Miriam Leitão foi torturada grávida e em uma das sessões de tortura ela foi deixada em uma sala com uma cobra, situação sobre a qual Eduardo Bolsonaro fez sua “piada”, que apenas deixa claro o quão desprezível é essa família e a extrema-direita. A família Bolsonaro costuma tratar a ditadura com grande apreço e reivindicam muitas das atrocidades cometidas no período como exemplos do que se deve fazer hoje. Por vezes exaltam o Coronel Ustra, um dos principais agentes da perseguição política e torturas na ditadura.

O ataque de Eduardo Bolsonaro a Miriam Leitão possui um outro elemento também, além da ânsia de censura contra absolutamente qualquer manifestação política crítica ao governo, que é seu desprezo e violência contra a mulher. Isso fica evidente ao se analisar que o orçamento destinado ao combate à violência contra a mulher deste ano é o menor desde o início da gestão de Damares.

Não é de hoje que o governo busca censurar tudo que apresente alguma oposição a Bolsonaro, escancarando sua faceta autoritária. Em um episódio recente, Bolsonaro entrou com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral com o objetivo de censurar manifestações políticas no festival de música Lollapalooza, por se tratarem de manifestações críticas ao governo. A reação durante o festival, tanto por parte dos artistas e também do público, fez com que Bolsonaro recuasse de sua tentativa de censura rapidamente.

Nós do Esquerda Diário repudiamos todos os ataques da família Bolsonaro e da extrema direita à imprensa e suas investidas reacionárias em forma de censura, sem com isso prestar apoio político a figuras reacionárias como Miriam Leitão, que é uma das expoentes do canal GloboNews, que apoiou o golpe institucional de 2016 e estão unidos a Bolsonaro no que diz respeito a atacar a classe trabalhadora. No entanto, o caráter reacionário dos ataques de Eduardo Bolsonaro à jornalista não devem passar em branco, e expressamos aqui todo nosso repúdio à essa direita que deve ser derrotada pelas mãos da classe trabalhadora.




Comentários

Deixar Comentário


Destacados del día

Últimas noticias