Gênero e sexualidade

DEBATE NA UNIFESP

Terceirização do trabalho feminino na Unifesp da Baixada Santista

No último dia 24 de março foi organizado pelo Centro de Educação e Direitos Humanos a mesa de debate "Mulher, trabalho e universidade". Com breve apresentação da professora Renata Gonçalves, a mesa contou com a presença de Claudia Mazzei Nogueira, Diana Assunção e da Reitora da Unifesp Soraya Smaili.

quinta-feira 26 de março de 2015| Edição do dia

No último dia 24 de março foi organizado pelo Centro de Educação e Direitos Humanos a mesa de debate "Mulher, trabalho e universidade". Com breve apresentação da professora Renata Gonçalves, a mesa contou com a presença de Claudia Mazzei Nogueira, Diana Assunção e da Reitora da Unifesp Soraya Smaili.

As falas de Claudia e Diana versaram sobre a condição feminina e a precarização do trabalho, se pautando na experiência de luta das trabalhadoras terceirizadas da USP registrada no livro "A precarização tem rosto de mulher", das Edições ISKRA. A Reitora Soraya se colocou contrária à terceirização, porém sem colocar uma medida consistente que possa terminar com essa condição de super-exploração na Unifesp da Baixada Santista. Os estudantes do movimento estudantil cobraram a Reitora pedindo mais diálogo e uma ação contundente frente aos casos de racismo que ocorreram na universidade.

Diana Assunção, que é diretora do Sindicato dos Trabalhadores da USP, contou a experiência do Sintusp na luta contra a precarização do trabalho e as iniciativas dos últimos anos, na construção de uma resistência em aliança com estudantes e professores, mas de forma independente das Reitorias e dos governos. Claudia ressaltou a importância de expandir esta experiência e dar passos decididos na Unifesp Baixada Santista contra a precarização do trabalho.




Tópicos relacionados

Terceirização   /    Universidade   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar