Mundo Operário

Temer recua na liberação do FGTS

Antes do Natal o presidente golpista declarou que iria liberar o saque do FGTS para todas as contas inativas sem depósitos após 31 de dezembro 2015. A medida liberaria cerca de R$ 30 bilhões do fundo.

Vanessa Oliveira

Professora do ABC

quinta-feira 19 de janeiro de 2017| Edição do dia

Como parte do seu pacote de falácias o presidente alegou que o dinheiro ajudaria os trabalhadores a quitar dívidas e ainda auxiliaria a retomada da questão econômica.

Como era de se esperar, após análise dos valores o governo descobriu que cerca de 2% dessas contas inativas contam com um montante alto e que causariam um impacto expressivo após os saques.

Desta forma passou a estudar alternativas juntamente com empresários e integrantes do governo, porém sem êxito em suas discussões o governo Golpista recua e afirma que o mais provável seja que os trabalhadores apenas transfiram seu dinheiro para aplicações financeiras como saída mais vantajosa.

O lobby feito pelas corporações imobiliárias certamente tem um peso grande nessa decisão, pois o dinheiro do FGTS sempre foi utilizado para financiamento habitacional, e seu saque poderia por em jogo os altos lucros que as empresas obtêm com tais financiamentos.

Para amenizar o recuo do discurso da liberação do saque, os aliados do governo mencionam que se a restrição vier incidirá apenas para um número pequeno de pessoas, e que preservará os trabalhadores endividados.

A caixa econômica responsável pelo saque do FGTS, diz que a partir de Fevereiro será divulgado um calendário para os eventuais saques.




Tópicos relacionados

Mundo Operário

Comentários

Comentar