Política

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

Temer quer que trabalhadores se voltem uns contra os outros e apoiem a Reforma da Previdência

A propaganda da vez foi feita pela conta do Twiter do Planalto, e como não poderia deixar de ser, é mentirosa e reacionária. A mentira é que apenas 30% dos brasileiros serão atingidos pela reforma da previdência. O reacionarismo fica por conta do pedido para que os trabalhadores que supostamente não serão atingidos se voltem contra os outros e apoiem a reforma.

Maria Eliza

Estudante de Ciências Biológicas na UFMG

terça-feira 16 de janeiro| Edição do dia

Os telejornais, as matérias nos jornais burgueses e as propagandas do governo federal deixam bastante claro que Temer está investindo - com a ajuda da Globo, da Record, do SBT e de tantos outros aliados reacionários - em nos convencer de que a reforma da previdência é necessária para salvar o país da crise e será excelente para nossas vidas. Isso mostra o desespero dele e dos empresários, que precisam que a reforma tenha popularidade para conseguir os votos (quase garantidos) dos parlamentares e, principalmente, para que não hajam novos processos de luta contra ela.

Nessa empreitada estão também a absurda propina oferecida às centrais sindicais, o aparecimento de Temer no SBT para defender a reforma, o acordo com a Google para esconder a verdade da reforma, e a oferta de R$10 bilhões para o ministro Marun chantagear deputados.

O mesmo nada confiável Marun é quem afirma que a situação para a aprovação da reforma está mais favorável agora que antes do recesso, quando a reforma da previdência tinha 66% de rejeição. O desespero generalizado é porque esse é o xeque mate que Temer precisa dar para descansar aliviado por não ter decepcionado a burguesia que investiu no golpe para que as reformas fossem aprovadas e salvassem os capitalistas da crise.

Mas a tarefa não tem sido fácil para o golpista: odiado desde antes do golpe, tremeu frente às lutas travadas pelos trabalhadores e pela juventude e quase caiu, não fossem as direções sindicais e estudantis petistas que nos traíram e boicotaram desde as ocupações de Outubro de 2016, passando pela maior greve geral das últimas décadas em 28 de Abril de 2017 e tendo no início do mês passado a reafirmação do descomprometimento com a defesa dos nossos direitos.

Agora passa da hora de as centrais sindicais apresentarem um plano de luta capaz de barrar a reforma trabalhista, mas a aprovação da PEC 55 e da reforma trabalhista já provou que não se pode haver por parte dos trabalhadores nenhuma confiança na burocracia sindical, pois CUT e CTB se preocupam em construir a candidatura de Lula como a alternativa que salvará a pele dos trabalhadores apenas depois que já estiverem sofrendo com as reformas, o que é outra mentira. É preciso construir, desde a base, uma batalha contra Temer e essa mídia reacionária.

É preciso construir, desde a base, uma batalha contra Temer e essa mídia reacionária. Por isso a CSP Conlutas deve contruir desde já assembleias em todos os locais que dirige e chamar exigência às centrais majoritárias que lancem um plano de luta sério. A esquerda, sobretudo os parlamentares do PSOL - partido que ocupa um importante espaço à esquerda do PT - e também o MTST, precisa dar uma ofensiva nesse combate à reforma da previdência e exigir das centrais sindicais que rompam com a trégua que tem dado aos golpistas.




Tópicos relacionados

Fora Temer   /    Reforma da Previdência   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar