Política

ENTREGA

Temer marca leilão para entregar ao imperialismo 6 empresas de energia

quinta-feira 14 de junho| Edição do dia

Foi publicado hoje no diário oficial a Resolução número 36 do Conselho do Programa de Parcerias de Investimento da Presidência da República nele anuncia-se a entrega de 6 subsidiárias da Eletrobras. Colocando em mãos imperialistas este patrimônio do país, fazendo os consumidores ficarem ainda mais reféns da oscilação de preços que seja mais favorável aos lucros e não aos direitos dos trabalhadores.

A resolução coloca à venda as Companhia Boa Vista Energia, Companhia Energética de Alagoas, Companhia Energética do Piauí, Centrais Elétricas de Rondônia, Companhia de Eletricidade do Acre e na Amazonas Distribuidora de Energia.

Para conseguir entregar estas riquezas do país Temer contou com o apoio do judiciário que reverteu liminares contrárias à privatização.

A grande mídia prevê a realização do leilão no dia 27 de julho. Até lá ainda há tempo para os trabalhadores superarem a traição das centrais sindicais que tem permitido que privatizações e ataques acontecem sem uma efetiva resistência dos trabalhadores. Os eletricitários marcaram uma greve de 72hs que prontamente foi considerada ilegal pela justiça, repetindo a prática antissindical vista na greve dos petroleiros. E tal como ocorreu em petroleiros imediatamente vários sindicatos organizaram o fim da greve que mal tinha começado.

Para se enfrentar com as privatizações e todos ataques dos capitalistas é necessário unir todas as forças da classe trabalhadora em uma frente única para a ação, construir correntes militantes nos locais de trabalho que exijam assembleias democráticas dos sindicatos e um plano de luta para gigantescas centrais como a CUT movam suas forças para derrotar os planos dos golpistas.

É preciso impedir as priviatizações lutando para que as empresas de energia como a Eletrobras e a Petrobras sejam 100% estatais, geridas pelos trabalhadores e com controle popular, única maneira de garantir energia barata e que os recursos do país não sirvam nem ao imperialismo nem a corrupção.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Privatização   /    Política

Comentários

Comentar