Opinião

REFORMA TRABALHISTA

Temer envia reforma trabalhista em regime de urgência para aprovação no Congresso

De acordo com Blog do Kennedy, Michel Temer concluiu de que sofreria desgaste político se fazer uma mudança na legislação trabalhista por meio de medida provisória. Neste sentido, preferiu por enviar um projeto ao Congresso em fevereiro com tramitação em regime de urgência. O presidente avaliou que a baixa popularidade do governo vai ser mais afetada caso optasse por implementar uma jornada de trabalho de até 12 horas diárias.

sexta-feira 23 de dezembro de 2016| Edição do dia

FOTO: El País

Temer preferiu divulgar hoje medidas como redução dos juros dos cartões de créditos (que ainda vão continuar bem altos, e a possibilidade de retirada de recursos das contas inativas do FGTS. É uma tentativa de produzir uma notícia positiva em meio a um cenário de dificuldades na economia e na política.

De acordo com a pesquisa feita no inicio deste mês pelo Paraná Pesquisa, é apontado que 50,4% da população brasileira estão descontentes com Michel Temer. A pesquisa mostra também que o governo Temer é desaprovado por 64,3 % dos brasileiros e 68,3% acham que Michel Temer não é o político adequado para governar o Brasil neste momento. Mesmo o governo ter aprovado a PEC 55 de modo relâmpago, mais de 60% da população é contrária a esta medida.

Michel Temer sabe que perante a crise política que só tende aprofundar com a delação premiada da Odebrecht, ele precisa implementar as medidas impopulares para mostrar pros setores do imperialismo e da ’’elite nacional’’ descontentes que ele é capaz de terminar o seu mandato. Temer sabe que se ele não conseguir implementar os ataques contra os trabalhadores e demais setores populares da sociedade, é bem provável que não consiga terminar nem o seu mandato.

Ao mesmo tempo que os de ’’cima’’ pressionam Temer para implementar fortes ataques aos trabalhadores e demais setores populares da sociedade, os ’’de baixo’’ não querem que estas medidas sejam implementadas. Por isso, devido ao seu enorme desgaste, Temer tenta procurar apoio dos deputados, até porque diferente do atual presidente, eles foram eleitos pela população e com isso possuem mais legitimidade do que Michel Temer.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Crise no governo   /    Opinião

Comentários

Comentar