Educação

ESCOLA SEM FACISTA

Sociologia e Filosofia diminuem desempenho, diz aliado de Bolsonaro

Adolfo Sachsida, conselheiro econômico de Bolsonaro, afirmou que as matérias de Sociologia e Filosofia diminuem o desempenho de Matemática dos estudantes do ensino médio. Ele está por trás da reacionária e persecutória política do Escola Sem Partido.

Leticia Parks

São Paulo

quarta-feira 18 de abril| Edição do dia

Adolfo Sachsida é conselheiro econômico de Bolsonaro e um dos maiores defensores da política persecutória e reacionária do Escola Sem Partido. Essa política tem como preceito a ideia de que o professor não é um educador e que sua tarefa é apenas transmitir o conhecimento técnico. Essa tese gerou práticas persecutórias de diversos níveis nas escolas públicas em todo o Brasil, que vão desde ações deliberadas de assédio moral, perseguição política e até mesmo agressão física e psicológica contra professores, uma profissão que já é enormemente precarizada.

Para os defensores dessa tese, assim como para Sachsida, seria necessária uma reforma curricular que retirasse matérias que tem como temática a sociedade, a política, o pensamento e a crítica, temas fundamentais na formação humana, ou seja, na preparação do indivíduo para a inserção na sociedade como sujeito.

Em seu estudo entitulado "Professor não é educador", Sachsida afirma que Sociologia e Filosofia diminuem o aproveitamento dos estudantes em Matemática, uma afirmação que certamente contou com zero metodologia de pesquisa, pois até hoje não foi encontrada forma eficaz de calcular aprendizado, quem dirá a relação de aproveitamento entre dois ou três temas do conhecimento.

A afirmação consegue ser ainda mais ignorante quando pensamos que os maiores matemáticos, físicos e químicos da história do pensamento ocidental eram filósofos, como Descartes, que pela via da imersão filósofica organizou sistemas matemáticos utilizados até hoje, como o método cartesiano. Pitágoras, outro grande matemático que criou o teorema que leva seu nome, também era filósofo. Newton, mais recente na história, formula a teoria da relatividade em diálogo com um dos primeiros filósofos da história que buscou encarar as leis da natureza de maneira relativa, Parmênides.

Sachsida, Bolsonaro, entre outros tenentes, coronéis e economistas reacionários, tentam criar teses "científicas" para basear discursos de ódio e preconceito contra enormes setores das massas, dentre eles, os alunos que eles dizem que não querem doutrinar. Mas o Escola Sem Partido é justamente a base de toda doutrinação. É a defesa de uma escola sem conhecimento, administrada por "pensadores", como Sachsida, que em defesa de seus dogmas e contra todo método científico, ignoram inclusive a própria realidade.

Veja Também:
Folha de São Paulo condena Filosofia e Sociologia como culpadas por baixo desempenho em matemática, utilizando-se de pesquisa




Tópicos relacionados

Reforma Curricular CEE   /    Bolsonaro   /    Reforma do Ensino Médio   /    Escola sem partido   /    Educação

Comentários

Comentar