Mundo Operário

TERCEIRIZADOS DA USP

Sintusp convoca ato contra a segregação e em defesa dos terceirizados

quinta-feira 5 de abril| Edição do dia

Após o avanço da terceirização que chega massivamente nos bandejões da USP, trabalhadores vêm sofrendo as consequências cada dia mais. Funcionários estão sendo contratados com menores direitos e salários, sendo divididos e obrigados a trabalhar em condições desumanas, sobrecarregados pela insuficiência de trabalhadores.

Além disso, mesmo trabalhando nos restaurantes são proibidos de comer dentro dos bandejões. Enquanto se produz 7 mil refeições diárias, sendo que toneladas de comida são jogadas fora ou doadas, trabalhadores terceirizados têm que lavar a louça da comida que não podem comer. Para piorar, eles estão sob ameaça de não poderem nem usar o vestiário, e também não têm acesso aos ônibus circulares da USP.

Diante de tudo isso, o Sintusp está chamando um ato conta a segregação e em defesa dos trabalhadores terceirizados, exigindo da reitoria e da Superintendência da SAS que: 1) exista condições dignas de trabalho para os trabalhadores terceirizados; 2) seja garantido o direito de que possam se alimentar nos próprios restaurantes assim como os trabalhadores efetivos e usar os vestiários e dependências dos restaurantes da USP; 3) Tenham direito ao cartão BUSP para que possam se locomover dentro da universidade como os demais estudantes, professores e trabalhadores efetivos; 4) Não pode haver nenhuma punição aos trabalhadores terceirizados.

Chamamos todos ao ato para unificar forças e ir contra a precarização do trabalho que a terceirização oferece!




Comentários

Comentar