Política

Sem mandato, Regina Duarte já esbanja privilégios com verbas públicas

No processo de encerrar seu contrato com a Globo, sem ainda ter tomado posse do cargo de secretária da Cultura, apenas o período que chamou de “noivado", a oferta de Bolsonaro custou aos cofres públicos 15 mil reais destinados à atriz.

quarta-feira 12 de fevereiro| Edição do dia

Regina Duarte, atriz global e pecuarista, segue sendo mantida com gastos extraordinários do governo em Brasília. Nos dias 22 e 23 de Janeiro, quando foi à Brasília conhecer a pasta proposta, o Ministério da Cidadania gastou 15 mil reais com passagens e diárias a ela e seus três assessores - um deles, ninguém menos que seu filho. A atriz ainda viajou mais duas vezes, cujos gastos ainda não foram informados oficialmente.

Regina Duarte, em todas as ocasiões que pode, transborda reacionarismo, assumindo a pasta no lugar de Alvim. Ironicamente, a atriz chegou a dizer que quem não apoia os cortes na Cultura é “egoísta em suas ambições”. Isso vindo da dona, junto ao marido, de um criadouro de gado de raça cara, que está sendo bancada pelo cofres públicos antes mesmo de assumir o cargo.

Assim, enquanto Paulo Guedes, que em seguida foi obrigado a ir a público “desculpar-se”, chama os trabalhadores do funcionalismo público de parasitas, para seguir sustentando os lucros de empresários com suas reformas contra os trabalhadores e povo pobre, o governo é formado por uma casta de elite que esbanja privilégios e troca de favores.




Tópicos relacionados

Ministério da Cultura    /    Governo Bolsonaro   /    Política

Comentários

Comentar