Mundo Operário

SALÁRIO MÍNIMO

Segundo DIEESE, salário mínimo devia ser R$ 4.342,57. Quatro vezes maior do que é hoje

Em dezembro, o salário mínimo necessário para sustentar uma família de quatro pessoas deveria ter sido de R$ 4.342,57. O valor é 4,35 vezes o salário mínimo em vigor em 2019, de R$ 998 —em 2020, o valor do mínimo foi reajustado para R$ 1,039.

segunda-feira 10 de fevereiro| Edição do dia

Em dezembro, o salário mínimo necessário para sustentar uma família de quatro pessoas deveria ter sido de R$ 4.342,57. O valor é 4,35 vezes o salário mínimo em vigor em 2019, de R$ 998 —em 2020, o valor do mínimo foi reajustado para R$ 1,039. A estimativa é do Dieese (Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos) e foi divulgada hoje. A diferença entre o salário mínimo real e o necessário subiu de novembro para dezembro. Em novembro, o ideal era que o mínimo fosse de R$ 4.021,39 (4,03 vezes o salário mínimo em vigor à época)

Mensalmente, o Dieese divulga uma estimativa de quanto deveria ser o salário mínimo para atender as necessidades básicas do trabalhador e de sua família, como estabelecido na Constituição: moradia, alimentação, educação, saúde, lazer, vestuário, higiene, transporte e Previdência Social. Esse valor é calculado com base na cesta básica mais cara entre 17 capitais pesquisadas. No mês passado, o maior valor foi registrado no Rio de Janeiro (R$ 516,91), seguido por Florianópolis (R$ 511,70) e São Paulo (R$ 506,50). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 351,97), Salvador (R$ 360,51) e João Pessoa (R$ 373,56)

De 2019 para 2020 houve um aumento de 4,03 para 4,35 vezes o salário mínimo necessário para a sobrevivência de uma família de quatro pessoas. Isso significa que esse primeiro ano de governo Bolsonaro o custo de vida aumentou, ou seja, a crise financeira que segue firme já a mais de uma década não foi solucionada como vinha se prometendo por meio da reforma da previdência e muitos outro cortes em áreas fundamentais como educação e saúde.

Ao mesmo tempo, as condições necessárias para que cada família possa ter qualidade de vida e acesso aos termos que a constituição defende, seria necessário não apenas uma reforma, mas uma assembleia nacional constituinte livre e soberana que fosse imposta pela luta. Se hoje os operários petroleiros vem travando uma importante batalha em defesa do petróleo que é nosso, dizendo que não, que a privatização e a terceirização não tem nada de bom para a população, mas sim para os capitalistas imperialistas do mundo todo, é fundamental que não recuemos nenhum passo com as nossas demandas.

A privatização e terceirização irrestrita está diretamente ligada com as péssimas condições de trabalho da qual cada trabalhador é forçado a trabalhar, enquanto a dívida pública do nosso país segue decolando próxima aos 80%, o salário vai rendendo cada vez menos, crianças são forçadas cada vez mais a trabalhar, a juventude segue cada vez mais desempregada e não consegue sequer se locomover pela cidade pelo alto custo do transporte.

É por isso que em cada local de estudo, de trabalho, precisamos apoiar a luta dos petroleiros, por uma Petrobrás auto gerida democraticamente pelos trabalhadores em serviço a necessidade de toda população. Para isso é preciso que cada trabalhador tome pra si essa luta, para que se massifique e nenhuma central sindical possa querer negociar aquilo que não lhes pertence, apenas os trabalhadores é que podem decidir sobre aquilo que produzem.




Tópicos relacionados

Governo Bolsonaro   /    Salário   /    salário mínimo   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar