Cultura

SECRETÁRIO DE DORIA ACUSADO DE ASSÉDIO

Secretário de Cultura de Doria, André Sturm, será investigado pela CGM após denúncia de assédio

Após áudio divulgado nas redes sociais e no WhatsApp, a Controladoria-Geral do Município (CGM) da prefeitura de São Paulo abriu uma investigação para apurar a conduta do secretário municipal de Cultura, André Sturm.

quarta-feira 17 de janeiro| Edição do dia

A conversa entre Sturm e Lara Pinheiro, sua assessora, aconteceu em Novembro. O secretário afirma estar descontente com o desempenho da funcionária, chamando-a de “desonesta”, “mau caráter” e “incompetente” e que por conta disso, a demitiria. Lara rebate, afirmando que o motivo de sua demissão teria sido sua recusa em fazer sexo durante uma viagem ao Canadá. Em resposta, Sturm afirma: "Se quisesse te comer, teria comido".

Após os compartilhamentos, o advogado de Lara afirmou que a assessora não é responsável pelo vazamento do áudio e afirma ainda que ela não fará denúncia contra o secretário André Sturm. Lara pediu demissão do cargo, permanecendo na secretaria até o dia 31.

O controlador Guilherme Monteiro Mendes, após tomar conhecimento do áudio, decidiu abrir a investigação sobre a conduta de Sturm, já que na discussão ainda são citadas outras situações de teor semelhante.

André Sturm fez algumas declarações a respeito, reconhecendo ter sido machista e grosseiro com sua assessora, mas nega que a tenha assediado sexualmente. Descreve o assédio como um “tema do mundo atual”, e diz que estavam querendo o acusar disso.

Não é a primeira polemica que vem à tona envolvendo o nome do secretário do tucano João Doria. Houve o caso em que ele foi filmado, durante reunião na sede da Secretaria de Cultura, ameaçando um agente cultural:

— Vou quebrar sua cara — dizia Sturm, repetidas vezes. Após a divulgação e repercussão, Sturm pediu desculpas.




Tópicos relacionados

João Doria   /    Machismo   /    São Paulo (capital)   /    Cultura

Comentários

Comentar