Política

CRISE POLÍTICA

Sai o ministro Cardozo, segue um Judiciário e uma PF que fazem sua própria lei

Dilma Rousseff confirmou nesta segunda-feira a saída do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo em meio à pressões vindas da base do PT após investigações.

Fernanda Peluci

Metroviária de São Paulo e militante do Movimento Nossa Classe e Pão e Rosas

terça-feira 1º de março de 2016| Edição do dia

A presidente Dilma Rousseff confirmou nesta segunda-feira, 29, em nota, a saída do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e sua nomeação para chefia da Advocacia Geral da União (AGU), em substituição ao ministro Luiz Inácio Adams. A saída de Cardozo do Ministério teria sido motivada por uma crescente pressão do PT, após rumores de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria alvo de quebras de sigilos bancário, telefônico e fiscal no âmbito da Operação Lava Jato. O então ministro decidiu entregar o cargo à presidente. Cardozo já havia manifestado a intenção de sair do governo algumas vezes, mas até então recuava após apelos de Dilma.

A nota informa ainda que assumirá o cargo no lugar de Cardozo o ex-Procurador Geral da Justiça do Estado da Bahia, Dr. Wellington César Lima e Silva. A indicação de Wellington César foi articulada pelo ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, um braço direito do ex-presidente Lula.

Para os líderes da oposição, a mudança na Esplanada dos Ministérios é fruto de pressão exercida pelo PT, pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pela base aliada do governo e por empresários, com o objetivo de preservar figuras importantes do PT que estão na mira da Operação Lava Jato (como o próprio ex-presidente).

A saída do ministro se dá na mesma semana em que Lula e sua família serão ouvidos pela PF acerca dos casos investigados do tríplex no Guarujá e de um sítio em Atibaia (ambos sedo negados a propriedade de Lula). Já o PT, anuncia que Cardozo sai por conta de um "desgaste natural" com o cargo, por estar a 6 anos no Ministério. O que fazem questão de não dizer agora era que até pouco tempo atrás acusavam Cardozo de "controlar" as investigações da Lava Jato. O que pode(ria) sair dessas investigações que tanto teme o PT, afinal de contas?

Em alguns momentos, Cardozo foi responsável por abrir alguns inquéritos policiais para investigar uso indevido de dinheiro de políticos do PT, como já denunciamos outras vezes, inclusive deste mesmo que agora investiga, Lula. Muito o criticava o PT acerca de sua atuação junto à Polícia Federal nas investigações da Lava Jato desde que esta se iniciou.

Dá para colocar o gênio de volta na lâmpada?

Homens saem, homens entram no Ministério da "Justiça", mas a história que se repete é a mesma: os políticos seguem buscando manter seus privilégios e sua impunidade a troco de tudo. O Judiciário hoje, visto como um poder dos "inquestionáveis", deve começar a ser questionado pela população: quem são estes homens que aplicam as regras? A quem servem? Quais seus interesses? Quem os elege?

Conseguirá agora no auge da Lava Jato depois de uma década de fazer o STF ter maiores poderes (como por exemplo que suas decisões fossem vinculantes a todo e qualquer caso similar), que o Ministério Público Federal (MPF) se controlasse a si mesmo, que o Presidente da República nomeasse a chefe do MPF quem os próprios escolhessem? Depois de uma década usando a PF para reprimir movimentos sociais (por exemplo ocupações de universidades federais), dando corda a que a ela fizesse aparições bombásticas, depois de libertar o gênio dá para ele voltar à lâmpada?

A polícia federal, o MPF, o judiciário todos eles passaram por várias transformações na última década, não foi só Cardozo que lhes deu corda, Lula e seu ministro Jobim que começaram esta reforma, como afirmamos em outros artigos. O próprio judiciário como mostra Nassif está cada vez mais "conectado" com o imperialismo em "cooperações" internacionais, entre elas o "combate ao terrorismo" na Copa, Olimpíadas, o projeto repressivo votado esta semana é mais um capítulo desta história.

Dilma, Lula o PT fortaleceram o braço armado do Estado e agora o PT quer fazer como para rebobinar esta fita? A Associação dos Delegados da PF já avisou que quer autonomia e que isto conste na constituição. O ministério público em meio a junho usou forças que ninguém sabia de onde vinham para lutar contra a PEC 37, que ninguém tinha ouvido falar antes, nem depois.

A nova nomeação será mais do mesmo ou o PT in extremis tentará um cavalo-de-pau? É possível frear este movimento que ele mesmo incentivou por tantos anos? Quais serão as consequências na própria Lava Jato?




Tópicos relacionados

Operação Lava Jato   /    Lula   /    Crise no governo   /    Política

Comentários

Comentar