Política

HABEAS CORPUS

STJ adia julgamento de Lula mas a continuidade do golpe vai bem, obrigado

Leandro Lanfredi

São Paulo | @leandrolanfrdi

quarta-feira 28 de fevereiro| Edição do dia

Mudou a data, mas as cartas seguem marcadas. No Rio de Janeiro, seguem as revistas vexatórias e abusivas contra crianças e os superpoderes de um general-interventor. Nestes últimos dias todo noticiário nacional desenrola-se lentamente como uma sucessão de linhas sobre as eleições e sobre a intervenção. E enquanto isso em banho-maria cozinha-se o sequestro da população votar em quem ela decidir, mesmo que em um conciliador como Lula.

Tudo indica que o STJ irá manter a negativa em conceder habeas corpus a Lula e o adiamento de hoje somente empurra a decisão para mais próxima da decisão definitiva do TRF-4, a segunda instância que condenou-o no caso do tríplex do Guarujá. O pedido do habeas corpus combina um pedido preventivo do ex-presidente para poder seguir respondendo em liberdade mesmo que o TRF-4 decida prendê-lo, coisa que ainda não fez enquanto ainda há “embargos declaratórios” no caso, bem como trata-se de um pedido de antecipação do julgamento sobre o mérito da condenação. A velocidade com que os juízes se dizem preparados para julgar esse mérito, ou seja, se está correta ou não a condenação, fala em alto e bom som como se trata de decisão protocolar e que chancelarão tudo que já foi decidido até aqui.

Tal como a mídia e de todo poder judiciário, o STJ atua para garantir a continuidade do golpe. O golpe foi dado em 2016 para garantir ataques muito maiores que aqueles que o PT e Dilma vinha aplicando, agora querem garantir que o pleito de 2018 ocorra em melhores condições para garantir renovadas privatizações, a retomada da reforma da previdência e outros ataques. Gleisi Hofman, presidente do PT, foi à mídia declarar que o PT faria uma reforma da previdência se eleito, mas isso não foi suficiente. Não querem “meia-reforma” e o risco de perder terreno depois de tanto terem arriscado com o golpe.

O PT, apesar de todos sinais de continuidade do golpe, não só que no tange à intervenção federal no Rio, bem como com esse cerceamento tem sido enérgico como um bicho-preguiça na luta contra esses autoritarismos. Tudo se resume a esperar algum milagre no STF que terá que se pronunciar se Lula deve ser preso ou não, e se pode se candidatar ou não. Tudo indica, que ao menos, a candidatura será impedida. Mas não há denúncias aos quatro ventos, organização da discussão nos locais de trabalho para que os trabalhadores possam tomar em suas mãos essa luta combinando-a luta para revogar a reforma trabalhista e pela retirada das tropas do Rio.

Graças à política da mídia, de toda burguesia e do judiciário o golpe segue bem, obrigado. O PT ajuda a que os golpistas naveguem em um céu muito mais de brigadeiro do que a realidade permitiria. Para derrotar a continuidade do golpe, é necessária a luta de classes e seus métodos, mas emprega-la dificulta oferecer-se como calma alternativa eleitoral de conciliação de classes. Independentemente do PT e sua insanável busca do não-confronto, mesmo golpeado, temos que ser linha de frente em impedir que degradem, ainda mais, a podre democracia burguesa brasileira. Esse combate defensivo necessário é pré-condição para ajudar as massas a aspirarem a mais do que é possível no regime de 88 e nos estreitos marcos do capitalismo no país.




Tópicos relacionados

Intervenção Federal   /    Julgamento de Lula   /    golpe   /    "Partido Judiciário"   /    Lula   /    Poder Judiciário   /    Política

Comentários

Comentar