Política

RENAN SEGUE NA PRESIDÊNCIA DO SENADO

STF decide que Renan pode presidir senado e, portanto, ajudar a aprovação dos ajustes

Em julgamento hoje no Supremo foi decidido que Renan Calheiros continuará na presidência do Senado, mas não é o próximo na linha de sucessão presidencial. Isso significa que o peemedebista, que é réu em processo por desvio de dinheiro público, continuará presidindo a casa que tem o poder de aprovar todos os ataques aos trabalhadores, como a PEC 55 e a reforma da previdência.

Diana Assunção

São Paulo | @dianaassuncaoED

quarta-feira 7 de dezembro de 2016| Edição do dia

Foto: Evaristo Sá/AFP

Essa disputa que se deu entre os poderes legislativo e judiciário só mostram que o real interesse desses setores é aprovar o que será mais útil para garantir a aprovação desses ataques, ajustes e retirada e direitos dos trabalhadores e da juventude. Não há um real interesse em combater a corrupção, já que mantém um réu justamente por corrupção na presidência do Senado. O STF buscou no meio dessa disputa garantir o melhor e mais rápido caminho para os ajustes, que é apoiar o campeão de medidas em prol da impunidade dos políticos.

Também mostra que há uma disputa dentro da direita golpista, com uma ala mais alinhada à Lava Jato, que como já defendi várias vezes é uma operação seletiva que pretende trocar alguns nomes corruptos por outros; e outra ala que se alinha aos que querem a impunidade aos corruptos.

Fica ainda mais nítido que o combate à corrupção não se dará nem pelo STF, nem por esse Congresso, e sim pela ação da classe trabalhadora. Por isso levantamos a necessidade de uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana, imposta pela mobilização dos trabalhadores e da juventude, para que sejamos nós a construir uma nova Constituição, onde se debata a retirada dos privilégios dos políticos impondo que seus salários sejam iguais ao de um trabalhador médio, assim como que os corruptos sejam julgados não por seus pares, mas por júri popular e que seus bens sejam confiscados.




Tópicos relacionados

STF   /    Renan Calheiros   /    Senado   /    Política

Comentários

Comentar