Mundo Operário

GREVE RODOVIÁRIA NO RJ

Rodoviários do Rio entram em greve por aumento salarial e melhores condições de trabalho

Cidade amanheceu com paralisação dos rodoviários. Entre as pautas da categoria está o fim da dupla função, medida criminosa que piora as condições de trabalhos dos motoristas, aumenta o tempo de viagem e o número de acidentes.

segunda-feira 11 de junho| Edição do dia

Foto: Tv Globo

Após assembleia realizada na semana passada, em que a categoria rejeitou o acordo da RioOnibus, os rodoviários do Rio deflagraram greve, dando um prazo de até 72h para que suas demandas sejam atendidas. Até o presente momento, pelo menos 6 empresas, que englobam 8000 rodoviários, estavam paradas: Ideal, Três Amigos, Paranapuan, Real, Redentor e Barra. A pauto do movimento, definida pelo Sintaturb é a seguinte:
1. Pisos salariais:
Motorista articulado e biarticulado: Diária: R$ 113,62 Mensal: R$ 3.408,76
Motorista: Diária: R$ 94,69 Mensal: R$ 2.840,65
Cobrador e Bilheteiro: Diária: R$ 52,25 Mensal: R$ 1.567,53
Despachante: Diária: R$ 94,69 Mensal: R$ 2.840,65
Fiscal e Controlador de tráfego: Diária: R$61,76 Mensal: R$ 1.852,77
2. Vale Alimentação: R$ 409,50
3. Vale Refeição: R$ 20,00 diário (R$ 480,00 mensal)
4. Plano de saúde
5. Eleição de Delegados sindicais por empresa
6. Fim da dupla função com retorno imediato dos cobradores
7. Escala de serviço e controle de jornada com biometria
8. Pagamento dos dias parados na greve dos caminhoneiros
9. Retorno da data base para o dia 1° de março
10. Responsabilização dos Consórcios pelas dívidas trabalhistas dos mais de dois mil trabalhadores das empresas Litoral, Translitoral, Madureira Candelária, Rubanil, América e Estrela Azul.

Segundo o diretor do sindicato, Sebastião José, o salário dos trabalhadores está congelado a 2 anos, e muitos motoristas estão cumprindo. Junto com isso, foi nesse período que a dupla função começou a ser empregada em larga escala no transporte carioca, o que aumentou o tempo de viagem e o número de acidentes. Além disso, estão ocorrendo demissões e nos últimos tempos 6000 trabalhadores já perderam seu emprego.

Apesar disso, recentemente o prefeito Crivella anunciou o aumento da passagem para R$3,95, para cumprir as demandas de renovações de frota que já deveriam ter sido cumpridas a anos, além dos subsídios no preço do diesel, cuja a conta vai ser paga pela população. Isso mostra que, diferente do discurso do prefeito e dos empresários de ônibus, o aumento da passagem não vem para cobrir os custos com os trabalhadores, vem apenas para aumentar o lucro dos patrões das máfias dos transportes que vem saqueando o povo carioca a décadas, em acordo com as diferentes prefeituras.

As péssimas condições de trabalho dos rodoviários e a precariedade dos ônibus já são conhecidas pela população carioca a tempos. Enquanto isso os empresários enchem seu bolso com os lucros deste péssimo serviço prestado a população e usam o dinheiro para subornar os governantes, como o rei dos ônibus Jacob Barata, grande aliado do PMDB aqui no Rio, que, dentre muitas coisas, foi acusado de pagar propinas a Jorge Picciani e Eduardo Cunha.

Neste período de crise econômica, os empresários correm para descontar as contas nas costas da classe trabalhadora, porém a população do Rio e os rodoviários não podem pagar a conta pela crise causada pelos próprios patrões! É necessário se solidarizar com essa greve e exigir a abertura da caixa preta da máfia dos transportes! Nós do MRT e Esquerda Diário levantamos que para termos um serviço de qualidade e acessível à população se é necessário um transporte público estatal, gerido pelos trabalhadores e com controle dos usuários.




Tópicos relacionados

rodoviários   /    Greve   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar