Sociedade

OLIMPÍADAS DO RIO

Rio: capital das olimpíadas ou do caos?

Rodrigo Leon

@RodHeel

terça-feira 14 de junho de 2016| Edição do dia

As olimpíadas ocorrerão a partir de Agosto (2016) no Rio de Janeiro frente a um cenário de catástrofe: Estado falido, surtos de Zika Vírus, violência policial, pontes destruídas, praias contaminadas...

O descaso com a classe trabalhadora chega a níveis cada vez mais brutais no governo golpista, além das privatizações em rápida e larga escala, demissões, a falta de planejamento e medidas que visam só o lucro. Surtos de Zika vírus voltam a aumentar os casos de microcefalia, que poderiam ser facilmente combatidos com saneamento básico, planejamento urbano, ampliação e não fechamentos de hospitais (Como o HUPE - RJ) que mostra como e com qual politica o PSDB atua: Injeção de lucro turístico contra os únicos direitos conquistados dos trabalhadores.

Para além disso, temos a violência policial que sistematicamente sobe os morros e adentra favelas para tirar a vida da juventude trabalhadora, negra, pobre, LGBT com a desculpa da proteção e da guerra ao trafico de drogas. Porém, os números dizem o contrario e ainda denunciam o método que o Estado usa para mostrar "serviço e eficiência" perante os burgueses de outros países, ou seja, a violência é o instrumento na qual se combate o tema trafico, quando na realidade a questão tem que ser debatida a partir da desigualdade social como fator principal de onde o trafico se instala para travar junto a polícia guerras intermináveis.

Na infraestrutura, o elefante branco ultrapassa o inimaginável do que a corrupção, desvio de dinheiro publico e superfaturar de obras podem fazer contra a classe trabalhadora. O primeiro exemplo é a ponte Tim Maia, que teve o custo de R$44 milhões de reais e desabou com menos de 3 meses de inauguração. O segundo exemplo é o VLT (Veiculo Leve sobre Trilhos) que custou mais de R$1 Bilhão de reais e que mesmo com suas obras inauguradas (mais da metade ainda continua em construção) já emperrou no seu primeiro dia de utilização; e para finalizar, o ultimo exemplo é referente a vitrine do Rio de Janeiro que são suas praias, que neste momento estão contaminadas por falta de saneamento básico por meio de uma logica irracional de não priorização da vida das pessoas.

Somente a mobilização pode dar um basta ao descaso, somente os trabalhadores podem tomar a frente daquilo que enfrentam cotidianamente. Por uma Assembleia Constituinte Livre e Soberana na qual os trabalhadores decidam os rumos do país, onde se discuta um plano de obras públicas a serviço do povo e não do lucro para dar saneamento básico e moradia a quem precisa e melhorar a vida da população.




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Sociedade

Comentários

Comentar