Política

Renan Calheiros tem o aval do STF se for para aprovar o ajuste contra os trabalhadores

Maíra Machado

ABC paulista

quarta-feira 7 de dezembro de 2016| Edição do dia

Renan Calheiros foi julgado oficialmente hoje no Supremo Tribunal Federal (o mesmo que recentemente aprovou uma medida que descriminaliza o aborto até os 3 primeiros meses) e o mesmo continuará presidindo o Senado, mas não será o próximo presidente caso Temer não conclua seu mandato, como começa a ser debatido pelos jornais e analistas.

O PMDBista hoje é réu em processo por desvio de dinheiro público e estará a frente de aprovar a PEC 55 e a Reforma da Previdência, que descarregam a crise criada pelos capitalistas nas nossas costas! Por isso seguimos batalhando para que os sindicatos rompam a trégua que estão dando ao governo golpista e ajustador e ao Estado que através do judiciário, com Sérgio Moro, quer trocar os jogadores e mudar as regras para garantir sua dominação. A CUT assiste passivamente as demissões no ABC e organiza algumas derrotas, como na Karmann Ghia, onde apostaram na "falência" da fábrica e não na mobilização independente dos trabalhadores, transformando esse conflito numa batalha de classe. A luta da Karmann Ghia não foi sequer citada pela CUT na paralisação do dia 11 ou 25.

Não existe nenhum combate sério a corrupção sem combater este sistema capitalista e essa democracia dos ricos que hoje tem um bilionário, xenofóbico e misógino como Trump no país "mais desenvolvido" do mundo capitalista! Não podemos confiar na Lava Jato ou nos políticos do Congresso, por isso levantamos a necessidade de uma Assembleia Constituinte livre e soberana, imposta pela mobilização independente dos trabalhadores e da juventude. Lutamos para que sejamos protagonistas na construção de uma nova Constituição que debata as grandes questões nacionais e lute contra os lucros dos patrões e privilégios dos políticos, que para manter suas regalias querem nos impor piores condições de vida.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar