Sociedade

NITERÓI

Reitoria da UFF entrega Morro do Gragoatá para especulação imobiliária.

Juan Dias

RIO DE JANEIRO

quinta-feira 28 de setembro| Edição do dia

Segundo nota do SINTUFF, a Universidade Federal Fluminense (UFF) com o Reitor à frente, cedeu o terreno do Morro do Gragoatá em Niterói para a iniciativa privada. Mais especificamente para a construtora Planurbs S/A. A cessão foi firmada em audiência na 4ª Vara Federal apoiada pelo Reitor da UFF Sidney Mello, pelo prefeito Rodrigo Neves e pela Girassol Incorporadora.

A iniciativa está sendolevada à frente pelo prefeito de forma autoritária, sem consultar a comunidade universitária nem os próprios moradores da região ou da cidade. Ele se justifica colocando que é uma decisão administrativa a cessão de uma área que segundo o Ibama é uma área de proteção ambiental permanente. Mas não é tudo entregado de mão beijada para os empreiteiros da especulação imobiliária. O acordo judiciário prevê um beneficio à UFF por contrapartidas de 10 mil m² e a manutenção da cobertura vegetal da encosta. “Beneficios” bastante aquém comparados com os vários milhões de reais que os especuladores imobiliários obterão do projeto.

Segundo nota do SINTUFF o Ministério Público Federal (MPF) afirma que existe ainda uma ação tramitando na 3ª Vara Federal para determinar se a área é um terreno de preservação ambiental ou não. Antes desta sentença ter uma resolução, o acordo de cessão do Morro do Gragoatá à especulação imobiliária não poderá ser efetivado.

A área tem no total mais de 60 mil metros quadrados que uma vez na mão dos capitalistas imobiliários será destinado para construir um condomínio residencial de 8 prédios de 6 andares e área de lazer para uso exclusivo dos moradores do condomínio. Acabar com o morro do Gragoatá como área de proteção ambiental irá contribuir na poluição do ar pois o morro cumpre um papel importante na purificação do ar da cidade de Niteroi.

A vice-diretora apresentou uma contra proposta para transformar o Morro do Gragoatá num parque ecológico fortalecendo o lazer dos moradores e também a atividade turística da cidade.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Corrupção   /    Rio de Janeiro

Comentários

Comentar