REFORMA TRABALHISTA

Reforma trabalhista na prática: justiça condena trabalhador a pagar R$750 mil a empresa

Um ex-trabalhador de uma concessionária de caminhões no Mato Grosso do Sul, que entrou com processo contra a empresa por reduções salariais sem justificativa, agora foi condenado à pagar $750 mil reais a empresa.

segunda-feira 12 de março| Edição do dia

Em 2016 Maurício Rother Cardoso ingressou com processo na justiça do trabalho conta a concessionária de caminhões que trabalhava, por conta de reduções salariais indevidas e também porque teve uma viagem prometida pela empresa cancelada.

O trabalhador pedia 15 milhões por uma série de descontos indevidos em comissões de venda, benefícios não pagos e compensações por danos morais, mas a justiça decidiu que a empresa deveria pagar apenas $10 mil pela viagem cancelada e inocentou a concessionária Mônaco Diesel de todo o resto do conteúdo do processo.

Mas o pior é que a justiça não apenas inocentou a empresa, mas também seguindo a Reforma Trabalhista, que prevê que caso o empregado perca o processo que fez contra a empresa ele deve arcar com os custos do processo, condenou Maurício a pagar 5% do que pedia a empresa, o que dá $750 mil reais.

Segundo a juíza que deu a sentença, a Reforma Trabalhista foi publicada em julho do ano passado e entrou em vigor em novembro, o que é tempo suficiente para que o trabalhador pudesse analisar os riscos do processo.

Esse é mais um caso gritante que escancara a quem serve a reforma trabalhista e o judiciário no Brasil, que se utiliza de uma reforma golpista para seguir atacando os trabalhadores e favorecendo os patrões. Por isso é mais do que urgente que as centrais sindicais, que seguem dando trégua a Temer e ao judiciário para seguirem nos atacando, organizem desde já um plano de lutas para que a classe trabalhadora entre em cena contra os planos dos golpistas e lute para anular essa reforma trabalhista.




Tópicos relacionados

Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Poder Judiciário

Comentários

Comentar