Internacional

REBELIÃO CLIMÁTICA

Rebelião pelo clima: ações e acampamentos em dezenas de cidades ao redor do mundo

As mobilizações realizadas nesta segunda-feira em escala global fazem parte da primeira fase da semana de mobilizações da Extintion Rebellion e de outros grupos, planejadas como parte de seu plano de pressionar os políticos a enfrentar a crise climática.

segunda-feira 7 de outubro| Edição do dia

Foto: Rebelião da Justiça Global no Twitter @GJRSite

Mobilizações semelhantes às de Madri estão ocorrendo em outras cidades como Londres, Buenos Aires, Berlim, Sydney, Paris, Praga ou Melbourne, onde diferentes ações ocorreram durante o dia, com o objetivo de exigir um giro “decisivo” frente situação de emergência ecológica.

No caso de Berlim, o "acampamento climático" no qual participam mais de mil jovens diante da Chancelaria Alemã, sede do governo de Angela Merkel, iniciou hoje suas ações de bloqueio, entre convocações à revolta do capitão da ONG Relógio do mar, Carola Rackete.

Enquanto isso, centenas de ativistas climáticos da Extinction Rebellion e "Coletes Amarelos" ocuparam o shopping Italie 2 no distrito 13 de Paris no sábado para denunciar a sociedade de consumo e a emergência climática. "Polua, consuma e cale a boca", "Destrua os palácios do poder. Construa casas para as pessoas" ou "Ecologia radical. Morte ao capital" são alguns das consignas escritas nos banners exibidos pelos ativistas logo após as 10 horas da manhã de sábado, relata a televisão francesa BFMTV.

Os ativistas chegaram em pequenos grupos até transbordarem em número os seguranças, que finalmente os deixaram passar sem oposição. Eles se concentraram no saguão principal do shopping e as lojas rapidamente abaixaram as cortinas.

Em Londres, a polícia realizou o que os próprios convocadores consideram "prisões preventivas" em face de protestos. A Polícia Metropolitana de Londres (Met) confirmou a prisão na segunda-feira de 21 pessoas por seu suposto envolvimento nas ações de protesto do grupo pelo ambiente da Extinction Rebellion. As prisões começaram no fim de semana, com acusações como "tumulto público", "obstrução policial" ou "escândalo público", disse a Met.

Os manifestantes ocuparam onze áreas estratégicas e centrais, incluindo a mencionada Trafalgar Square e a Westminster Bridge, entre outras. Os bloqueios devem durar no mínimo duas semanas e mais de 20.000 pessoas devem participar, segundo a organização.

Em Amsterdã, dezenas de jovens bloquearam as ruas, enquanto centenas de manifestantes foram às ruas em Sydney, na Austrália.

No Estado espanhol, a grande maioria das associações ambientais - incluindo Fridays for Future, Greenpeace ou Ecologistas em Ação - se reuniram em uma plataforma chamada 2020 Rebellion pelo Clima. Ao corte de rua em Madri, outras se somam outras ações, como acampar em frente ao Ministério da Transição Ecológica, também em La Castellana, onde já foram construídas cerca de 40 lojas.

"Os acampamentos serão mantidos indefinidamente e é uma ação coordenada em cidades de mais de 60 países", disse Nicolás Eliades, membro do coletivo Extinction Rebellion.

"Pedimos que a emergência climática seja declarada, mas com medidas vinculadas", disse Miguel Rodríguez, um dos membros da Extinction Rebellion que serviu como porta-voz na segunda-feira. O movimento também exige que "a verdade seja dita", em referência aos relatórios que alertam para os impactos das mudanças climáticas.

Outro pedido lançado pelos organizadores é que os países façam reduções acentuadas em suas emissões de gases de efeito estufa, de acordo com o que esses relatórios científicos apontam.




Tópicos relacionados

mudanças climáticas   /    Internacional

Comentários

Comentar