Juventude

UERJ

Professores e técnicos da UERJ votam greve: organizar grande movimento unificado

quarta-feira 2 de março de 2016| Edição do dia

Em assembleia histórica com mais de 470 professores presentes foi votada greve na UERJ a partir de segunda-feira. Antes disto os técnicos administrativos também votaram greve em assembleia também cheia. Os professores estão há 14anos sem reajuste! E a universidade está cada vez mais precarizada, sem verba.

A situação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro está critica e não é de hoje. Temos acompanhado a crise da universidade que já vinha sofrendo pelo não pagamento do salário das terceirizadas da limpeza, e das bolsas dos estudantes e residentes. A situação chegou a tal estado de calamidade que culminou na ocupação da universidade, no final do ano, pelos estudantes, e no movimento dos trabalhadores e estudantes do Hospital universitário Pedro Ernesto (HUPE) em defesa do não fechamento do hospital pela falta de limpeza.

Contudo o período de 2016.1 começa ainda pior, com a previsão de corte do orçamento da universidade em 16%, aprovado pelos deputados no final de 2015. Seguimos vivendo o atraso nas bolsas de estudantes e residentes, rescisão do contrato de 600 terceirizadas do HUPE, com mais de 2 meses de salário e segunda parcela de 13° atrasado, e a mudança de data de pagamento dos servidores estaduais e possível redução dos salários. Para completar todos funcionários públicos terão que aumentar sua contribuição à previdência segundo projeto do governador Pezão.

A crise que se encontra a UERJ mostra que da maneira que a universidade não tem condições de começar 2016.1 assim, e que uma greve é necessária.

Mas não é somente a UERJ que se prepara para luta. Os professores das escolas estaduais acabam de votar greve para começar nesta quarta feira (02/03). E começa a pipocar no Estado do Rio de janeiro vários atos de estudantes do ensino médio. Questionamos o pagamento da dívida pública, os altos investimentos na Olimpíadas e isenções a empresas, feitas pelo governo do Pezão e cia, enquanto as escolas não têm condições mínimas como água, papel higiênico e climatização. Situação muito semelhante à que a UERJ vem sofrendo desde o começo de 2015.

Este é o momento de unificar as lutas e fazer um grande movimento de trabalhadores e estudantes contra os cortes e ajustes do PSDB e PT! Tire seu Pezão de nossa educação! Unificar professores, estudantes do médio e universitário pela Educação Pública, Gratuita e de qualidade para todos lutando pelo fim do vestibular! Não pagamento da dívida para garantir saúde e educação para todos!




Tópicos relacionados

UERJ   /    Juventude

Comentários

Comentar