Gênero e sexualidade

PARALISAÇÃO INTERNACIONAL DAS MULHERES

Professores da rede pública de SP paralisam em defesa da educação e da vida das mulheres

quarta-feira 8 de março| Edição do dia

Professores da rede pública de São Paulo paralisaram hoje suas atividades no Dia Internacional de Luta das Mulheres, aderindo à paralisação internacional das mulheres. Na foto, professores de diversas regiões, da Zona Norte, Zona Oeste, Santo André, Campinas, Marília conformaram um bloco em defesa da educação e pela vida das mulheres neste 8M, durante a assembleia da APEOESP.

No bloco, os professores levantam um cartaz com os dizeres paramos pela educação e pela vida das mulheres. Para lutar contra a reforma da previdência, que vai afetar a vida das mulheres trabalhadoras, e contra o projeto Escola Sem Partido e reforma do ensino médio que quer acabar com a qualidade da educação pública e ao mesmo tempo impedir o debate sobre gênero e sexualidade contra o machismo sejam feitas em sala de aula.

Danilo Magrão, ex-candidato do MRT pelo PSOL e membro do professores pela base declarou que: hoje todos estes professores pararam, porque só paralisando nossas atividades é que a gente vai conseguir barrar o conjunto destas reformas e lutar pelos direitos das mulheres!




Tópicos relacionados

Especial 8 de março   /    São Paulo (capital)   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar