RACISTA

Presidente da Fundação Palmares destila seu racismo e chama João Alberto de marginal

Em suas redes sociais, nesta quarta, 25, Sérgio Camargo chama Mariguella, Madame Satã e João Alberto de marginais.

quinta-feira 26 de novembro de 2020| Edição do dia

Foto: reprodução

Nesta quarta, 25, Sérgio Camargo, o repugnante presidente da Fundação Cultural Palmares (FCP), declarou em suas redes sociais que: Mariguella era branco e que o filme sobre ele não teria sofrido censura por parte da Fundação; e chamou João Alberto, que foi assassinado por um policial militar e um segurança do Carrefour, era um marginal como Mariguella e Madame Satã.

Veja aqui: No país de Marielle e Ágatha, Fundação Palmares tem presidente que nega racismo e ataca Zumbi

Como sempre, o Esquerda Diário declara seu repúdio contra Sérgio Camargo que claramente atua em prol dos interesses da extrema direita racistas e dos lucros dos capitalistas. Como aliado do governo Bolsonaro, Sérgio Camargo é anti organização do Movimento Negro no Brasil e coleciona uma vasta lista de absurdos racistas contra a população negra.

Pode interessar: A luta contra o racismo e as contradições do discurso liberal.




Tópicos relacionados

Justiça por João Alberto   /    Racismo Estrutural   /    Fundação Palmares   /    Racismo   /    [email protected]

Comentários

Comentar