NEGACIONISMO E DESCASO

Presidente da Fundação Palmares afirma que quarentena geral é "maior imbecilidade"

A fundação que leva o nome do mais famoso quilombo brasileiro, símbolo de luta contra a escravidão, hoje possui um capitão do mato na sua presidência.

domingo 29 de março| Edição do dia

Já é conhecido o histórico de absurdos que Sergio Camargo proferiu em relação aos negros contemporânios e aos seus ancestrais. Primeiro afirmou que no Brasil não existe "racismo real". Antes fosse mais um iludido pelas falácias da teoria da democracia racial, mas não é o caso. Pois diante dos elementos mais reacionários que brada o atual governante da República, Jair Bolsonaro, o presidente de Palmares assume diretamente sua disposição a somar-se a ele em toda medida reacionária e autoritária.

Outro absurdo pronunciado é que a escravidão foi "benéfica para os descendentes", afirmação que possui como premissa que o Brasil é um ótimo país para a população negra. Além de sempre brandar seu antiativismo negro, coisa que chama de vitimismo publicamente, mesmo depois da morte de Mariele Franco .

A parcela da classe trabalhadora que mais sofre dentro do sistema são negros, pois para eles é direcionados os empregos mais precários e degradantes. Estamos vivendo um pandemia, a qual Bolsonaro insiste em afirma que é uma "gripizinha" e que os trabalhadores não devem parar para não quebrar a economia, posição que o Sergio conflui, pois não consideram que a economia deveria está submetida aos interesses da população, coisa que atualmente não de fato não está.

Sem reponsabilidade nenhuma com os trabalhadores negros, esses que estão nos postos mais precários, sendo a maioria dos tercerizados e trabalhadores informais, quais não é apresentado nenhuma solução real, que nem mesmo condições de prevenção lhes és fornecida, afirma Camargo, "Ao trabalho, brasileiros!”.

Também define a quarentena generalizada de "medidas extremas sem planejamento e racionalidade", mas nenhum projeto que solucione de fato a crise é apresenta, seu intuito é deixar à sorte individual, uma linha concientimente genocida.

Esse capitão do mato, é um traidor da classe trabalhadora. Os trabalhadores que são obrigados ir ao trabalho por impossibilidade de ficar de quarentena e fazer home office, não sabe se contraiu o vírus ou se seu colega de trabalho possui.

Para um solução efetiva contra o corona vírus é necessário teste massivos para todos aqueles que queriam e precisam, diferentemente das medidas insuficiente e assassinas proporcionadas pela burguesia.




Tópicos relacionados

Coronavírus e racismo   /    Coronavírus   /    [email protected]

Comentários

Comentar