Mundo Operário

CAMPINAS

Prefeito de Campinas quer retirar salários da saúde e atacar aposentadoria durante a pandemia

Jonas Donizette (PSB) quer aprovar uma reforma da previdência municipal em meio à crise do coronavírus afetando as regras de contribuição dos servidores públicos, reduzindo seu salários, o que também vai atingir os profissionais da saúde da cidade que estão na linha de frente de combate nos hospitais em Campinas.

domingo 12 de abril de 2020| Edição do dia

O projeto de alteração no Camprev vai à votação nesta segunda-feira, 10h da manhã por sessão online da Câmara. É um projeto de precarização da vida que ataca os funcionários públicos, como por exemplo os profissionais da saúde que estão nos hospitais municipais colocando todas suas forças para atender os pacientes infectados pela COVID-19, que chegou a mais de 100 casos confirmados na cidade. Muitos estão sem EPI’s mínimos, com plantões exaustivos porque não tem contratação emergencial, e além disso agora vão ter que lidar com o projeto de lei que altera, entre outros pontos, de 11% para 14% a contribuição dos servidores para o Camprev (Instituto de Previdência Social do Município de Campinas), reduzindo seus salários.

Sob um incomprovado déficit no Camprev, Jonas ataca os direitos dos servidores, que já passam de 200 afastados por suspeita de coronavírus, demonstrando a hipocrisia de uma gestão que se diz “racional” no combate da disseminação do vírus, mas que na verdade escancara o desprezo pela vida do povo trabalhador, retirando direitos num cenário em que se aceleram as demissões, legalizadas pela MP de Bolsonaro. É por esses tipos de reformas e ataques no funcionalismo público, bem como na própria saúde e educação, que hoje sequer existem leitos para todos os pacientes infectados, que dirá uma testagem em massa da população para uma quarentena mais eficaz e científica.

Jonas Donizette mostra toda hipocrisia e cinismo ao fazer vídeos dizendo que está promovendo ações junto da Defesa Civil com projetos de higienização de locais que abrigam idosos, com o compromisso de “zelar” pela vida desse setor da sociedade ao mesmo tempo que apoiou a reforma da previdência aprovada ano passado e quer aprovar agora mais essa a nível municipal, reformas que atingem sobretudo os mais idosos.

Isso é o que o PSB, partido do prefeito, tem a oferecer ao mais vulneráveis neste momento de profunda crise social, econômica e sanitária. Por isso não podemos ter nenhuma confiança em “lobos na pele de cordeiro”, como são Jonas, Dória e também Mandetta. Contra os absurdos e as irresponsabilidades de Bolsonaro se dizem consequentes, mas também querem aprofundar a precarização da vida e do trabalho e jogar a conta da crise nas nossas costas.

Nós do Esquerda Diário rechaçamos a reforma da previdência municipal de Jonas e defendemos que só a força dos trabalhadores, se organizando em comitês de crise e gerindo a produção, poder dar uma saída a crise. A região de Campinas concentra diversas empresas que poderiam, por exemplo, estar servindo pra produzir equipamentos e EPI’s, se tivessem sua produção reconvertida para isso e fossem controladas pelos trabalhadores. É preciso lutar também por testes massivos para a população, contratação imediata de novo pessoal da saúde, EPI’s para todos os trabalhadores dos hospitais, liberação urgente de todos que são grupo de risco, além de compra de respiradores e instalação de novos leitos para que não sejam os trabalhadores a pagarem pela crise consequente de um capitalismo desumano e devastador, defendido e aprofundado por Bolsonaro, Guedes, militares, e golpistas.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    PSB   /    Jonas Donizette (PSB)   /    Campinas   /    Saúde   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar