Sociedade

BELO HORIZONTE

Preço das passagens aumenta em BH e juventude faz o primeiro ato do ano na cidade

Nesta terça-feira (3) passou a valer o aumento nas passagens de ônibus de Belo Horizonte. No mesmo dia centenas de jovens se manifestaram no centro da cidade contra o aumento. Nova manifestação já está marcada para quarta-feira (4) às 17h30 na Praça Sete.

Francisco Marques

Estudante de Filosofia na UFMG

terça-feira 3 de janeiro| Edição do dia

Foto: Renato Weil/EM/D.A Press

A prefeitura de Belo Horizonte já havia decretado o aumento na última sexta-feira (30). As linhas principais, como o MOVE e outros municipais de BH, subiram de R$ 3,70 para R$ 4,05, com reajuste médio de 9,4%. As linhas intermunicipais tiveram aumento similar que já vigora desde domingo (1) e as linhas principais subiram de R$ 4,45 para R$ 4,85, segundo decreto de secretaria do Estado de Minas Gerais.

O aumento em Belo Horizonte foi decretado pelo ex-prefeito Márcio Lacerda e apoiado pelo novo prefeito, Alexandre Kalil, em declarações à imprensa. O novo prefeito, que fez toda sua campanha criticando “os políticos” e se dizendo um “gestor” ou “empresário”, chegou a criticar o transporte público nos debates de campanha e inclusive prometer a abertura da caixa-preta das empresas de ônibus. Segundo Kalil denunciou em debate, “entregaram a BHTrans para os empresários de ônibus”. Mas diferente das promessas e do palavreado de campanha, a postura e as ações de Kalil se assemelham muito a dos políticos tradicionais que ele dizia combater.

Vídeo de campanha de Alexandre Kalil (PHS)

Este aumento acontece em meio a uma subida geral no custo de vida que torna ainda mais difícil arcar com o alto custo da passagem. A inflação é alta, o salário mínimo foi congelado e os salários em geral sofreram congelamento ou arrocho. Além disso o governo da direita golpista e de Michel Temer vem anunciando e implementando diversos ataques contra os serviços públicos e contra direitos históricos, como foi a aprovação da PEC 55 no Senado e a proposta de reforma trabalhista.

Já o governador Fernando Pimentel, do PT, continua seu mandato também a serviço dos empresários do transporte e reajustou por decreto da Secretaria de Estado de Transporte e Obras Públicas (Setop) as tarifas nas linhas intermunicipais, que chegaram a preços de R$ 5,60, R$ 6,30 e até R$ 10,10 para algumas cidades da Região Metropolitana. Em diversos estados os governadores do PT também ajudam a aplicação do ajuste fiscal contra a maioria, seja votando leis ou diretamente implementando os ataques.

Por outro lado os políticos e altos-funcionários de Belo Horizonte só têm tido aumentos acima da inflação e continuam com seus privilégios garantidos frente à maioria. Os vereadores de Belo Horizonte votaram, Alexandre Kalil aprovou e Márcio Lacerda sancionou o aumento do salário dos vereadores para R$ 16.500 e do prefeito para R$ 31.100. Além disso os altos-funcionários da prefeitura tiveram aumento muito acima da inflação, de 25,86%. O custo de todos esses aumentos salariais é estimado em 29,2 milhões somente em 2017, segundo cálculos da própria prefeitura.

Enquanto isso as empresas lucram milhões e escondem suas planilhas e seus lucros. Recebem isenções milionárias do estado, que desde 2014 somam mais de 44 milhões de reais. E no ano passado os vereadores de Belo Horizonte votaram lei que permitiu às empresas tirarem cobradores de diversas linhas e instituírem a dupla função para motoristas, com mais riscos para os trabalhadores e para população, além de um serviço ainda mais lento e com menos segurança.

As centenas que foram às ruas hoje são parte da resistência que a juventude vem fazendo contra o golpe da direita e os ataques desta à educação e às condições de vida. Em um momento de crise capitalista sem sinal de melhora, os grandes empresários e os políticos querem que a população pague pela crise que não criou. A luta contra o aumento é expressão desta mesma disputa. A juventude precisa desmascarar os políticos e a máfia dos transportes e conquistar o apoio dos trabalhadores e da população nessa luta. O Movimento Passe Livre convoca novo ato para amanhã (4) às 17h30 na Praça Sete: https://www.facebook.com/events/1828855030717675/.




Tópicos relacionados

Sociedade   /    Belo Horizonte   /    Juventude

Comentários

Comentar