MEDICINA DE COMUNIDADE / MEDICINA DO CAPITAL /

Porque a faculdade de medicina precisa se fundir com as comunidades pobres

Gilson Dantas

Brasília

sexta-feira 28 de dezembro de 2018| Edição do dia

A extensão universitária pode ser um momento onde o estudante de medicina se envolva com o ambiente social e de trabalho que engendra a doença da família trabalhadora.

Projetos de extensão das faculdades de medicina foi o tópico de palestra patrocinada pelos estudantes no Congresso da Universidade Católica de Brasília, em 22 de novembro passado e realizada pelo dr Gilson Dantas.

Na sua palestra-debate de meia hora, foram abordados temas como a extensão universitária das faculdades de medicina: como revolucioná-la; a degradação da medicina e a falência do atual modelo biomédico mercantilizado; a questão das “doenças de rico” e “doenças de pobre”; o retrocesso dos avanços iniciais da Faculdade de Ciências da Saúde da UnB; em que ponto os atuais projetos de extensão de medicina estão limitados ou travados: saúde, pobreza e medicina comunitária; a extensão universitária como um catalizador para uma nova mentalidade do estudante; a questão do empoderamento político das comunidades pobres e das fábricas e da luta de auto-organização de massas.

Também foi relatada experiencia profissional do palestrante com relação ao tema.

A Universidade como uma bolha e seu distanciamento das más condições sociais e dos efeitos da concentração de renda e decadência da vida urbana. A medicina do “Brasil profundo”. E vários outros temas.

Caso lhe interesse, a palestra consta no vídeo abaixo:




Tópicos relacionados

medicina social   /    Movimentos Sociais   /    medicina do capital   /    Movimento Estudantil

Comentários

Comentar