Juventude

10 DE NOVEMBRO

Por que os estudantes da UFRGS devem se mobilizar nesse 10 de Novembro?

quinta-feira 9 de novembro| Edição do dia

Essa próxima sexta-feira está sendo chamada por boa parte das centrais sindicais como um dia nacional de lutas contra a reforma trabalhista que entra em vigor no dia 11 de novembro. Alguns chamam um dia de paralisação nacional, outro de lutas e mobilizações, mas todos pela anulação dessa reforma que vai rifar os direitos trabalhistas e o futuro da juventude.

Aqui no Rio Grande do Sul e em Porto Alegre é distinto. Enquanto no resto do país vigora uma difícil situação de ataques sem resistências efetivas, em terras gaúchas estamos vendo duas greves históricas - dos professores do estado e municipários da capital. A primeira já dura dois meses, enquanto que a segunda já se torna a maior da história da categoria. Duas lutas que tornam esse dia 10, no sul, um dia de paralisação efetiva, que possa dar um gás para o conjunto dos trabalhadores e jovens do restante do país. Tudo isso apesar do imobilismo estarrecedor das centrais, como CUT e CTB, para com a construção do dia 10.

Nesse cenário, combinado à enorme crise pela qual passa a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, se torna mais concreta a possibilidade de o movimento estudantil da UFRGS entrar com tudo nesse dia 10, paralisando seus cursos, saindo às ruas, debatendo com os colegas e lutando ombro a ombro junto aos professores, municipários e demais categorias e população gaúcha. Ambas as greves tem a potencialidade de derrotar os ajustes neoliberais de Sartori e Marchezan. Ao passo em que descarregam a crise em nossas costas, chantageando os servidores por seus salários em troca de vender estatais para honrar o acordo com o governo Temer, as mobilizações em curso e um forte dia de luta nesse 10 de novembro podem ser um contraponto efetivo para derrotar ambos os governos, colocando em cheque seus projetos e impondo um programa que faça com que os empresários, políticos e banqueiros paguem pela crise - e não nós.

Por isso nós daFaísca - Anticapitalista e Revolucionária fazemos um chamado a todos os estudantes da UFRGS a debaterem a necessidade de sair às ruas nesse dia 10, paralisar seus cursos e marchar lado a lado com os trabalhadores gaúchos contra Marchezan, Sartori, Temer e todos os ataques. Infelizmente nossa entidade estudantil, o DCE controlado pelo PT e UJS, não só nada faz para mobilizar os estudantes como se esforça para afundar qualquer iniciativa independente dos estudantes contra esses governos e a reitoria que também retira direitos. Ao invés de derrotar o projeto golpista, eles visam tão somente 2018, quando até lá, caso nada seja feito, os principais ataques e reformas já terão passado - atitude totalmente irresponsável, para não dizer criminosa.

Não será dessa forma que vamos derrotar a direita, mas sim com consciência, mobilização e muita força para engrossar as lutas já em curso. Nesse sentido, os estudantes da UFRGS podem cumprir um importante papel. Às 18h, na esquina democrática, vai haver um ato unificado que deve aglutinar os setores em luta, no qual nós, estduantes da UFRGS junto aos técnicos e professores, devemos nos somar.




Tópicos relacionados

Marchezan   /    Sartori   /    UFRGS   /    Porto Alegre   /    Crise gaúcha   /    Juventude

Comentários

Comentar