Política

SUSPEITA DE TERRORISMO

Polícia Federal prende suspeito de terrorismo no Rio

sexta-feira 29 de julho de 2016| Edição do dia

O suspeito foi preso no apartamento da mãe em Copacabana no Rio de Janeiro sob a acusação de terrorismo após ter feito um post em seu perfil no Facebook, no qual jurava lealdade ao Estado Islâmico. Além desses elementos, Chaer é muçulmano e de origem libanesa, tendo passado sua adolescência no país.

A PF informou também em sua declaração que a prisão foi em base aos critérios da Lei Antiterror, promulgada por Dilma antes de golpe institucional, e que agora serve de justificativa para prisões arbitrárias com a desculpa de aprofundar a investigação, de possíveis terroristas que poderiam prejudicar o andamento dos jogos olímpicos, como se as próprias condições de precariedade, atrasos, crise política e social no país já não fossem o retrato do fracasso do evento.

A prisão foi alvo de críticas do secretário estadual de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, que afirmou não ter sido notificado a respeito da prisão de um suposto terrorista, e vê que a divulgação do caso pela PF como um equívoco do trabalho de inteligência, que deveria ser noticiado quando o caso já estivesse claramente resolvido.

Como denunciamos aqui, o governo golpista de Temer já vem monitorando cerca de 100 pessoas a partir das redes sociais sob a suspeita de terrorismo, e pautadas pela Lei Antiterrorista, cujo objetivo é chamar a atenção para outro assunto que não seja o próprio estado de calamidade que se encontra o Estado do Rio de Janeiro hoje, além dos bilhões destinados as obras superfaturadas que enriquecem os bolsos do corruptos e empresários as custas da miséria da população.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Olimpíadas   /    Rio de Janeiro   /    Política

Comentários

Comentar