Teoria

Podcast Feminismo & Marxismo: A Revolução Russa e as mulheres. Veja as referências citadas.

Bom dia, boa noite, boa tarde. Seja lá a hora que vocês estejam lendo isso, depois de pedidos sobre as referências citadas pela Diana Assunção, apresentadora do podcast Feminismo & Marxismo, e pelas convidadas, iremos produzir mensalmente compilados das obras e textos citados para quem busca se aprofundar.

sábado 23 de maio| Edição do dia

Bom dia, boa noite, boa tarde. Seja lá a hora que vocês estejam lendo isso, depois de pedidos sobre as referências citadas pela Diana Assunção, apresentadora do podcast Feminismo & Marxismo, e pelas convidadas, iremos produzir mensalmente compilados das obras e textos citados para quem busca se aprofundar. Esse especial de mais de 1 hora (!) sobre a Revolução Russa e as mulheres, está cheinho de referências para sabermos mais porque as mulheres foram linha de frente desse histórico processo mundial.

Samoilova escreveu: “se uma mulher é capaz de subir num andaime e lutar nas barricadas, então é capaz de ser uma igual na família operária e nas organizações operárias”.

Já Trostsky, em carta endereçada à assembleia de mulheres comunistas: “A rotina cega do costume tem, infelizmente, uma força grandiosa. Em nenhum lugar, o costume é tão cego e surdo quanto na restrita e obscura vida cotidiana familiar. E quem seria chamada a estar na linha de frente da luta contra o modo de vida bárbaro da família senão a mulher revolucionária? Com isso não quero dizer, de modo algum, que os operários conscientes não devem se ocupar da obrigação de trabalhar pela reconstrução das formas econômicas da vida familiar e, acima de tudo, da alimentação, da educação e da formação das crianças. Mas, com mais energia e mais persistência, lutam pelo novo aqueles que com o velho estão sofrendo. E na atual vida cotidiana familiar, a parte que mais sofre é a da mulher – esposa e mãe."

Veja mais:

Teses de abril, Lênin

Nas Teses de abril, escritas em 1917, que Lênin apresenta dez máximas analíticas de modo a traçar um programa para acelerar e completar a revolução que havia se iniciado em fevereiro daquele ano. É descrita a experiência histórica das duas revoluções russas e, com perspicácia leninista, fundamentado o plano concreto da passagem da revolução democrática burguesa, já realizada, para a revolução socialista.

Minha vida, Trotsky - Sundermann

A obra surgiu também da necessidade de Trotsky de defender a si próprio e de combater a burocracia stalinista soviética. Partindo de sua infância e passando pelos períodos revolucionários da Rússia desde os primeiros anos do século 20, Trotsky conduz o leitor a compreender política e socialmente o que era a Rússia e em que circunstâncias se deu o processo revolucionário.

Curso sobre Lênin - Campus Esquerda Diário

É possível que um sistema baseado na exploração de uma pequena classe de parasitas sobre a grande massa de trabalhadores assalariados do mundo inteiro atenda às demandas dos setores oprimidos? É o que tentam nos fazer crer. Por isso ficam incentivando o movimento feminista a se empoderar pra tentar manter essa sociedade como está, e não pra gente subverter toda a ordem social. Ainda que vivemos num governo hoje misógino e ultra-reacionário como o de Bolsonaro, é um fato que muitos governos mundo afora, empresas e o próprio estado buscam conceder alguns direitos para conter a explosividade da nossa força, incentivando os valores femininos, de igualdade. Entretanto, o “feitiço pode se voltar contra o feiticeiro” ou o “tiro sair pela culatra”. O impulso do neoliberalismo em cooptar os movimentos sociais, em especial o de gênero, alentando o “empoderamento” feminino como forma de extensão do estado capitalista pra melhor dominar, pode estar saindo do “controle” seja do “script da agenda neoliberal” seja do controle das burocracias. - Diana Assunção.

O poeta e o tempo, Marina Tsvetáieva.
“Não há um único grande poeta russo cuja voz a Revolução não tenha sacudido e feito crescer.”
O livro que aqui se apresenta reúne três ensaios que possuem exatamente essa tensão como objeto, tocando assim o segredo de Tsvetáeva. Desde Novalis, raras vezes o risco da poesia como absoluto encontrou uma formulação tão drástica, tão elementar, tão peremptória. Tsvetáeva atenua o fanatismo da forma, que é a nossa herança moderna. Nela, um coração profundamente arcaico nos transmite batidas que dão a exata pulsação do século.

Manifesto Bofetada no gosto público, Maiakóvski e outros poetas do grupo cubofuturista

Programa de Transição, Trotsky
O Programa de Transição reafirma as tarefas do proletariado mundial. O revolucionário russo o faz a partir de identificar a imobilização da III Internacional sob as mãos do regime stalinista. O livro é a sistematização das tarefas que devemos empreender para retomar o caminho da revolução socialista mundial.

Mulher, Estado e Revolução, Wendy Goldman - Boitempo e Edições Iskra (2014)

A Boitempo, em parceria com a Edições ISKRA, publicou o premiado livro A Mulher, o Estado e a Revolução: política da família soviética e da vida social entre 1917 e 1936. Escrito por Wendy Goldman, historiadora e professora da Universidade Carnegie Mellon (EUA), dos sobre a Rússia e a União Soviética, a obra examina as mudanças sociais pela qual passou a sociedade soviética e, principalmente, as mulheres, nas duas primeiras décadas pós-revolução.

10 Dias que Abalaram o Mundo, John Reed -L&PM Pocket
Quando eclodiu a Revolução de 1917 na Rússia, foi acompanhá-la de perto e se identificou com os ideais da revolução que mais tarde tentou difundir nos EUA. O livro conta detalhes sobre a revolução que derrubou o regime czarista e instaurou a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).




Tópicos relacionados

Vladímir Lênin   /    Revolução Russa   /    Trotsky   /    Teoria   /    Gênero e sexualidade

Comentários

Comentar