Política

CONTRA A PRIVATIZAÇÃO DA CEDAE

Pezão marca leilão para entregar CEDAE a preço de banana, sem previsão de pagar servidores

terça-feira 10 de outubro| Edição do dia

O governo do Estado do Rio publicou ontem no Diário Oficial a data para o pregão do empréstimo que tem as ações da CEDAE como garantia. Como se não bastasse a sede dos golpistas do PMDB de entregar a Companha Estadual de Águas e Esgotos, empresa pública e superavitária, a iniciativa privada, ainda querem entregar a preço de banana.

Em meio à inúmeras contestações judiciais que demonstram a ilegalidade em todo o processo de privatização levado adiante por Pezão, Temer e Meirelles, Pezão aceitou ainda a redução do valor entregue em troca pela companhia.

Como pode ser lido no decreto, Pezão aceitou as imposições do Ministério da Fazenda e baixou o valor da CEDAE de 7 para 5.8 bilhões de reais, fazendo com que o valor do "tal" empréstimo que iria supostamente colocar em dia os salários do servidores caísse de 3.5 bilhões para $ 2,9 Bilhões de reais. Esse valor, alem de nao estabilizar as contas do estado, também não consegue colocar em dia os salários atrasados.

Segundo dossiê feito pelo SINTSAMA (sindicato dos trabalhadores da Cedae), a Cedae vale mais de 38 bilhões. Só o investimento realizado para a construção do Guandu 2 feito pela Cedae, e que melhorará o abastecimento de água em toda a baixada fluminense, custou R$ 3,5 bilhões. Ou seja, é uma proposta completamente entreguista do patrimônio público, de uma empresa que gera lucros além de ser essencial para os moradores do estado do Rio.

A lei que autoriza a privatização da Cedae em troca do empréstimo, foi aprovada em fevereiro e diz que o dinheiro deve ser utilizado prioritariamente para pagamento dos salários atrasados, o que já se provou que não acontecerá, não só pelo valor pífio do empréstimo como também pelo próprio planejamento de utilização do dinheiro que Pezão divulgou. Isso mostra como colocar os salários em dia era apenas um pretexto para entrega a Cedae a iniciativa privada tirando das mãos do estado o controle sobre uma empresa superavitária e essencial para a população.

A saída dos trabalhadores para a crise do Rio é o oposto da entrega de suas empresas estatais, da entrega da água e do saneamento básico para serem regidos pela sede de lucro dos empresários. Foi esta sede de lucros que criou a crise em primeiro lugar, com bilionárias isenções fiscais e uma dívida pública monstruosa contraída pelo Estado.

É de extrema importância que a classe trabalhadora se mobilize de maneira a barrar esses ataques que vem sofrendo por parte do PMDB e seus golpistas, tanto no estado do Rio de Janeiro com a entrega da cedae, o desmonte da Uerj e da educação como um todo e o arrocho e os ataques aos servidores quanto a nível nacional com a reforma da previdência e todos os ataques dos golpistas e fazer com que os capitalistas paguem pela crise.

A CEDAE É DO POVO, PEZAO SAI, CEDAE FICA




Tópicos relacionados

CEDAE   /    Rio de Janeiro   /    Política   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar