Política

PRIVATIZAÇÃO

Petrobras sob Temer vai vender refinarias, décadas de tecnologia e investimento pelo ralo

terça-feira 2 de maio| Edição do dia

Pedro Parente, presidente da Petrobras nomeado por Temer foi a Houston, Texas como vendedor de patrimônio nacional. Declarou que a nova lista de privatizações atingirá também as refinarias. Sem refinarias o país ficará dependente de importações e se especializará em óleo cru. O entreguismo agora rima com desindustrialização.

Como caixeiro-viajante, vendendo por preço de banana os ativos nacionais, Pedro Parente foi à prestigioso OTC - Conferência especializada em tecnologia "off-shore", um dos maiores eventos da indústria de petróleo. Lá anunciou que as refinarias serão entregues. E com toda cara-de-pau falou que isso seria bom para a empresa e para o país, ele afirmou: "Os ativos são mais ou menos os mesmos, mas agora também vamos começar a falar sobre refino. Refino é importante para a Petrobras. Mas acreditamos que não é bom para a empresa nem para o país concentrar 100% do refino na mão de uma única empresa."

Fernando Henrique Cardoso, de quem Parente foi ministro, privatizou a REVAP do Rio Grande do Sul e tentou vender outras refinarias. O resultado foi que a refinaria ficou sem investimento, usada conforme a flutuação do preço internacional do barril. Essa decisão colocará todo o país refem das oscilações do preço mundial e consequentemente quando for mais barato importar do que produzir aqui importar gasolina, diesel, com consequências até mesmo na balança comercial.

O entreguismo de Temer fará o país retroceder décadas na produção de derivados de petróleo. A força mostrada pela classe trabalhadora pode fazê-lo recuar nessas privatizações, bem como em todas reformas. Isso depende da organização dos trabalhadores, por Temer seremos uma república de bananas, ou exportadora de óleo cru.




Tópicos relacionados

Política

Comentários

Comentar