Opinião

OPINIÃO

Pequena retrospectiva do mandato de Carlaile Pedrosa do PSDB em Betim

Texto escrito no último dia do mandato de Carlaile em Betim, 31/12/2016

segunda-feira 2 de janeiro| Edição do dia

A prefeitura de Betim, na reta final da gestão do PSDBista Carlaile Pedrosa, tem a audácia de postar em sua página do facebook gifs com a legenda “Betim na direção certa e preparada para o futuro” que ignoram a insatisfação da população e mentem sobre a realidade da cidade, que hoje, à véspera do primeiro dia de mandato do magnata Vittorio Medioli está preparada para as medidas deste próximo governo que não promete melhorar as condições de vida dos betinenses.

Betim, cidade em que, aos 78, ainda prevalece a política coronelista, em que o poder alterna entre as mesmas famílias, os mesmos milionários decidem os rumos de toda a população, e, ainda assim, de quatro em quatro anos mais um representante dos ricos, pronto para garantir as regalias da burguesia, assume a prefeitura. Hoje termina o mandato de Carlaile Pedrosa, do PSDB, que, novamente, deixou “memoráveis legados” à população e garante que Betim está preparada para o futuro: o futuro prefeito mais rico do país, dono dos únicos jornais de impacto na cidade (O Tempo e Super Notícia) e empreendedor no setor de transportes na cidade desde que se naturalizou brasileiro, Vittorio Medioli, que pelas promessas de campanha promete governar para os empresários, reforçar o policiamento que mata a juventude negra e periférica da cidade e industrializar ainda mais a cidade que abriga, dentre tantas outras multinacionais, a italiana e conterrânea FIAT.

No mandato de Carlaile o preço das refeições nos restaurantes populares subiu para 4 reais, condenando à fome moradores de rua que, antes, conseguiam contribuições para comer, e prejudicando milhares de trabalhadores que precisam almoçar nos populares todos os dias. Com um aumento das passagens de ônibus para 3,70 e uma resposta da população, que passou a pular as catracas, é tomada a medida incabível de aumentar as catracas em alguns ônibus para que os passageiros sejam obrigados a pagar ou parem de usar o transporte público. Além disso, os motoristas dos ônibus agora são também os cobradores por um pequeno aumento no salário enquanto os jovens betinenses que trabalhavam como cobradores perderam seus empregos. É claro que, para a prefeitura e para a Santa Edwiges - única empresa que fornece ônibus para a cidade há anos, tendo as licitações prorrogadas mesmo sob críticas da população - é mais vantajoso sobrecarregar os motoristas e colocar vidas em risco por um aumento no salário que dar mais empregos, pagar direitos trabalhistas e salários mínimos.

Foto: Betim Mil Grau

Agora, a cidade está “preparada para o futuro”, com o preço das passagens a 4,05, o que vai condenar ainda mais a população que trabalha longe de suas casas, os estudantes que não têm passe livre, a juventude negra e periférica que fica afastada das poucas oportunidades de lazer existentes na cidade, à vida de proletariado que produz, consome, enriquece os ricos e não tem alternativas para, por exemplo, estudar para tentar melhorar de vida e se divertir.

E falando em lazer, a lei de incentivo a cultura foi extinta no mandato de Carlaile. A ala artística da cidade se manifestou em uma performance que “sepultou” a cultura no dia 09 de Junho na praça Milton Campos. Um grupo de atores e atrizes também se manifestou contra o atraso da inauguração do teatro de Betim, cujas obras estão paradas desde o fim de 2012.

Foto: Deyvisson Oliveira

A Funarbe, Fundação Artístico Cultural de Betim, continua atrelada aos políticos da cidade e, especialmente neste último ano, não promoveu eventos que oferecessem arte e cultura à população, assim como nunca visibilizou e ofereceu um suporte real os artistas locais, que há anos reclamam, sem serem ouvidos, da pouca disponibilidade de editais e de verba, da falta de eventos que suportem suas apresentações e da falta de espaço para atrações diferentes das habituais, como em 2015 quando um grupo de jovens se revoltou contra as apresentações constantes das mesmas bandas na casa da cultura, enquanto as batalhas de rap, que já não aconteciam mais de forma independente na pista de skate, não tinham espaço nem estrutura para acontecer.

Esse ano a prefeitura anunciou estado de calamidade pública financeira ao passo que renovou o asfaltamento do centro e dos bairros centrais. Enquanto isso os moradores dos bairros Marimbá, Petrovale e São Caetano, por exemplo, ainda sofrem as péssimas condições das ruas. As avaliações da página do Facebook da Prefeitura Municipal de Betim mostram a insatisfação da população com relação ao asfaltamento dos bairros mais afastados, dentre outras denúncias, como a de que moradores do bairro Gentileza ficaram sem água e a prefeitura usou a falta de verba para justificar.

Os betinenses permanecem amedrontados e o policiamento não oferece uma alternativa de melhora. Há pouco mais de um mês a Polícia Militar de Fernando Pimentel, do PT, responsável por dizimar a o juventude nas favelas e reprimir manifestações no Estado, assassinou um jovem de 14 anos no bairro Teresópolis novamente “por engano”.

A lista de peripécias é longa e complexa demais para descrever apenas nesta matéria, mas não é difícil perceber que o futuro que nós, a juventude e os trabalhadores betinenses, queremos não é o mesmo futuro que Carlaile e a corja de coronéis e capitalistas da cidade querem. Betim está no rumo certo para que mais ataques sejam desferidos sem que muitos de nós, ainda presos na condição de objetos e sem condições de ser um sujeito histórico, possamos reagir, ficando a mercê das vontades do milionário Medioli, que além de intocável na política e nos negócios, é também na mídia. Por isso convido, mais uma vez, a juventude betinense a usar o Esquerda Diário como um portal de denúncias, sendo cada um porta voz da própria realidade, independendo e sabotando jornais como “O Tempo”, que denuncia a política municipal e nacional de forma parcial e sem dar voz ao povo.
Em resposta aos gifs de Carlaile Pedrosa, e com as devidas licenças aos rappers betinenses, deixo uma letra escrita em parceria com a artista, estudante e militante betinense Helena Souza em meados de 2016:

Só não vê quem não quer pois tá escrito em braile
O sete pele tem filho e o nome dele é...
Falando assim tão rasgado o meu peito até dói
Mas Betim daqui dez anos vai ser a nova Detroit
Pôs mais asfalto que as ruas que cortam essa cidade
Fechou cinco restaurantes, ia fechar maternidade
“Como assim vai fechar? O meu filho vai nascer!”
Quer saber? Tem que aprender com a galera do Terê!
Salve salve a nossa cidade
Betim, essa grande biqueira
Que deixa as Minas sem norte
Na história brasileira
Fazer arte não é fácil, é um trabalho como os seus
Fizeram o mundo em seis dias, mas ninguém aqui é Deus
Não há tanto investimento quanto dizem na cultura
Os responsáveis por isso tão mergulhados na usura
Enquanto isso o artista ganha o dinheiro que dá
Cantando o que for vendável nos barzinho de BH
Pode ser que a gente até não tenha Chico nem Gil
Mas é que eu vi um pretinho e seu cavaco era um fuzil
Salve salve a nossa cidade
Betim, essa grande biqueira
Que deixa as Minas sem norte
Na história brasileira
Na cidade dos carros e revolução vem a pé
Nós refina petróleo, crack, coca e rapé
Não é à toa que dizem que o Texas é aqui
Tem coronel, tem cavalo, feno e a pistola é free
Qualquer cristão se cansa de lutar neste lugar
Com essas regras de jogo nós não consegue jogar
Eu poderia até dizer que vou sair, cair no mundo
Mas essa é a parte que me cabe desse latifúndio
Betim é nossa!




Tópicos relacionados

Betim/MG   /    Opinião

Comentários

Comentar