Mundo Operário

DIREITOS TRABALHISTAS

Pedreiro que foi soterrado por uma parede teve o auxílio retirado pelo INSS

terça-feira 2 de janeiro| Edição do dia

O pedreiro Mário Caregnato sofreu um acidente que quase lhe tirou a vida em 2015. Mário trabalhava na demolição de uma casa em Curitiba, e enquanto empurrava uma parede, outra desabou em cima dele, soterrando-o. Veja o vídeo:

Mário hoje anda de bengala, não pode ficar muito tempo de pé, sofre dores na cabeça por causa de coágulos. No momento do acidente, teve vários ossos quebrados, mas durante a recuperação, foi descobrindo novas fraturas: no esterno (tórax), no quadril, no fêmur, e mais cinco vértebras esmagadas.

Apesar de tudo isto, com as novas regras do INSS, o pedreiro perdeu o auxílio-doença depois de fazer perícia. Mário passou pela sua sexta cirurgia no dia 22 de dezembro de 2017, mas o perito do INSS achou que isso não era o suficiente para comprovar a impossibilidade de Mário trabalhar, e mandou retirar o auxílio-doença.

Por dois anos e dois meses, Mário recebeu o auxílio. Porém, com as novas regras do INSS, e com o governo Temer querendo "mostrar serviço" aos capitalistas atacando os trabalhadores, o INSS retirou seu benefício desde novembro de 2017.

Mário, que perderá 90 dias só com a recuperação da operação na coluna, está tentando reverter a decisão, recorrendo dela. A nova perícia, no entanto, foi marcada para abril de 2018. Ou seja, até lá, vai depender da ajuda dos familiares e nenhum benefício por parte do estado.

Esta é mais uma demonstração de até onde pode chegar a ganância capitalista, que legaliza o trabalho escravo, multiplica o trabalho precário, e explora os trabalhadores até a última gota de suor, sem direito ao descanso, como Temer quer fazer com a Reforma da Previdência e os patrões tentam fazer através da aplicação da reforma trabalhista nos locais de trabalho. Contra isso, em 2018, é necessário retomar o caminho da greve geral para impor a anulação das reformas e que os capitalistas paguem pela crise!




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Direitos Trabalhistas   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar