Paulo Guedes, o verdadeiro "parasita" que ganha R$ 8,2 mil de auxílio alimentação e moradia

O ministro da economia do Brasil, que além dessa semana ter dado duas infelizes declarações, primeiro de que os servidores são os parasitas do estado e depois sobre as supostas empregadas domésticas que iam para a Disney, mostra a sua verdadeira face (e hipocrisia) quando o assunto é "sugar o estado".

sexta-feira 14 de fevereiro| Edição do dia

Paulo Guedes não só recebe cerca de R$30 Mil como remuneração aos ataques que vem implementando em defesa dos interesses de seus amigos banqueiros, como representa um verdadeiro "parasita", recebendo quase 8 mil reais apenas para viajar entre os estados do Rio de Janeiro e Brasilia, e logicamente, fazer umas comprinhas e aproveitar a vida com o dinheiro publico.

O anuncio do recebimento desses valores pela Folha de São Paulo, não só mostra o absurdo que os cargos públicos indiretos (indicados pelo presidente e não votados pela população) têm em relação a grande maioria dos trabalhadores, mas também elucida a diferença entre o que é um trabalhador que contribui para o desenvolvimento do pais (como os petroleiros em greve) e um "parasita" como Guedes, que tem um salário para implementar ataques e benefícios de cargo.

De Damares à Guedes, de Moro à Dellagnol, é perceptível que os privilégios são aplicados para a manutenção das mordomias, trejeitos e gozo de poucos, enquanto o restante da população se vê a deriva da falta de normas trabalhistas (como são os entregadores de aplicativo (Ifood, Glovo, Rappi) que não recebem nem equipamento de proteção.




Tópicos relacionados

privilégios   /    Paulo Guedes   /    Governo Bolsonaro

Comentários

Comentar