Política

BANQUETE

Para acabar com nossa previdência, Temer oferece luxuoso jantar a aliados

Na noite desta segunda (06), o presidente Michel Temer oferece mais um jantar para ministros e senadores no Palácio da Alvorada. O cardápio da noite é a Reforma da Previdência, para acabar com nosso direito à aposentadoria.

terça-feira 7 de março| Edição do dia

Foto: Luxuoso jantar oferecido por Temer para aprovar a PEC 241/55, no ano passado.

Por volta das 19h30 desta segunda-feira, o presidente golpista já aguardava seus convidados. Com o afastamento de Eliseu Padilha, principal articulador do governo, é necessário que Temer costure pessoalmente junto à sua base a destruição da nossa aposentadoria.

Já é rotina do presidente golpista oferecer luxuosos jantares para agradar seus pares quando se avizinham as votações de ataques. Com a PEC 241/55 também foi assim.

Além dos ministros Antônio Imbassahy, Moreira Franco, Dyogo de Oliveira e Henrique Meirelles foram convidados os deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ), Arthur Maia (PPS-BA), Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), Lelo Coimbra (PMDB-ES), André Moura (PSC-SE), e o senador Romero Jucá (PMDB-RR).

A absurda Reforma da Previdência que Temer pretende aprovar na Câmara de Deputados em abril prevê 65 anos como idade mínima para aposentadoria, além de 49 anos de contribuição, sendo 25 anos o prazo mínimo de contribuição ao INSS. Isso significa que muitas trabalhadores e trabalhadores vão morrer trabalhando.

Estes jantares de Temer a seus aliados são como deboches ao povo trabalhador, que amargará as medidas que os políticos privilegiados discutem em meio a seus banquetes. Os anteriores foram de luxo, mas até o momento do fechamento desta reportagem, os valores da refeição presidencial desta segunda-feira não tinham sido divulgados, porém não é do perfil do presidente golpista gastar pouco para agradar seus aliados na aprovação de ataques contra nossos direitos. O último jantar custou mais de R$50 mil. Veja aqui o que discutiram os golpistas na noite desta segunda.




Tópicos relacionados

Governo Temer   /    Michel Temer   /    Política

Comentários

Comentar