TOMATAÇO DE GILMAR MENDES

PF investiga grupo que pagava R$300 para quem acertasse tomate no ministro Gilmar Mendes

O inquérito foi aberto pelo próprio ministro para investigar líder de um grupo de Whatsapp, chamado "Tomataço", que oferecia R$300 reais pra quem acetasse um tomate no ministro.

quarta-feira 7 de fevereiro| Edição do dia

A pedido de Gilmar Mendes, a Policia Federal abriu um inquérito para investigar protestos contra o ministro do Supremo Tribunal Federal. Um homem será investigado por liderar um grupo de Whatsapp chamado "Tomataço", onde ofereciam R$300 para quem acetasse um tomate na cabeça ministro.

Gilmar Mendes pede que o responsável seja penalizado segundo a lei e a defesa do ministro afirma no documento que é evidente que a intenção do responsável pelo Tomataço não era realizar protesto, e sim, de "ocasionar lesão corporal e patrimonial do ministro".

O ministro já teria sofrido outros protestos recentemente, como ocorreu em um avião, onde passageiros se manifestaram chamando-o de "corrupto" e pedindo para que ele saísse.




Tópicos relacionados

Polícia Federal   /    Gilmar Mendes   /    STF

Comentários

Comentar