Juventude

ALIANÇA BIZARRA NA UNICAMP

PCdoB e MBL juntos nas eleições estudantis na UNICAMP: entenda esse caso escandaloso

Muitos têm se perguntado se o PcdoB chegou a esse ponto na UNICAMP, como centenas de estudantes têm postado. Veja as informações e o vídeo que comprova a aliança entre as duas organizações.

Faísca Unicamp

FaiscaUnicamp

quinta-feira 9 de novembro| Edição do dia

As eleições para o Conselho Universitário e o Diretório Central dos Estudantes da Unicamp estão mais agitadas que o normal, pois um fato da disputa chamou a atenção de todos os estudantes e lutadores na UNICAMP e fora dela: não contente com as alianças com a direita e setores golpistas na política nacional (como expressou através do apoio de Cristovan Grazina à reeleição do prefeito golpista Jonas Donizette em Campinas), o PcdoB deu um passo além: se aliou a um grupo político que tem membros do MBL!

A matéria do Esquerda Diário denunciando a espúria aliança entre MBL e UJS (juventude do PCdoB) para disputar o DCE da UNICAMP já chegou a milhares de pessoas, e está deixando os dirigentes das duas juventudes preocupados com a repercussão diante dos estudantes, que estão questionando nacionalmente.

O caso é tão escandaloso, e expressa o pior do oportunismo no movimento estudantil para ganhar uma eleição, que tanto o PCdoB e sua juventude (a UJS) quanto o MBL fizeram postagens envergonhadas dizendo que era mentira, mas são postagens que não têm nenhuma influência, porque todos os estudantes da UNICAMP sabem muito bem quem é o Apenas Alunos a que a UJS está ligada.

Diante das dúvidas, explicamos quem são eles e inclusive o vídeo que comprova que há membros do MBL no Apenas Alunos:

O grupo em questão é o Apenas Alunos, que surgiu na Unicamp após a greve 2016 para atuar fundamentalmente contra o movimento estudantil que estava protagonizando uma das suas maiores lutas, se auto-organizando contra os cortes da reitoria, em defesa das cotas étnico-raciais e a favor da permanência estudantil. A primeira medida desse grupo enquanto representantes do Conselho Universitário foi retirar a autonomia dos estudantes na organização da votação para escolha de seus próprios representantes, defendendo junto à reitoria que a votação fosse online e controlada pela burocracia universitária.

Apesar de ter uma pose de “apenas alunos”, é conhecido pelos estudantes que o MBL é uma clara força política desse grupo. Sem poder negar que têm membros do MBL, a estratégia do Apenas Alunos é dizer que têm apenas um membro e por isso “não são o grupo do MBL”. No vídeo a seguir o estudante Luiz Renato, do IC, faz uma declaração de que é do Apenas Alunos e faz parte do MBL, veja a seguir no mínuto 1:21 do seguinte vídeo:

Não resta dúvida alguma a partir do vídeo que o grupo político Apenas Alunos é composto por integrantes do MBL, e sabemos que não são apenas um (eles preferem se esconder como forma de ganhar mais votos como estudantes independentes), que ora se inscrevem nas chapas, oram ficam disfarçados.

Ou seja, ainda que neguem de todo modo a aliança, os fatos são evidentes e não há como negar. Todos os estudantes da UNICAMP vêm fazendo a pergunta: como a UJS vai negar que está aliada com o Apenas Alunos, se a inscrição da chapa prova isso? Como vai se negar que está com um grupo político que tem membros do MBL?

Na eleição para o DCE da Unicamp, três chapas concorrem: "Apenas Alunos" (composta pela UJS e o grupo Apenas Alunos), "Nosso Tempo, Nossa Luta" (PSOL) e "Cantarei o Grito" (MRT).


Lista dos candidatos das chapas que concorrem para os Conselhos, em que a "Apenas Alunos" apresenta o membro do MBL como candidato do IC

Sobre esse tema, Flávia Telles, candidata à representação discente do CONSU e membra da chapa Cantarei o Grito declarou: “Todos sabem que alguns grupos políticos como o PCdoB/UJS, durante as eleições, estão dispostos a fazer todo tipo de aliança e manobras para manipular os estudantes e ganhar a eleição, transformando o DCE num balcão de negócios de suas correntes. Mas chegar ao ponto de se aliar ao Apenas Alunos e MBL é algo ainda mais escandaloso e repudiável, pois se trata do mesmo MBL que estava com a Direita São Paulo e grupos neonazistas na Câmara de vereadores defendendo o Escola sem Partido do Tenente Santini. Não podemos deixar que esse tipo de grupo esteja à frente das entidades dos estudantes. Vamos dar um basta na UNICAMP e em outras universidades a esse velho movimento estudantil e construir um movimento realmente independente, combativo, democrático e que esteja na linha de frente contra os ataques reacionários do MBL, de toda a direita conservadora e do governo golpista.”




Tópicos relacionados

MBL   /    Unicamp   /    Juventude

Comentários

Comentar