Sociedade

REFORMA DA PREVIDÊNCIA

PC siqueira chama Temer de golpista após ser chamado para divulgar reforma da Previdência

Enquanto mais de metade da população brasileira rechaça a reforma da Previdência, Temer busca semear o terreno para a aprovação não apenas entre os deputados. Temer procurou PC Siqueira, youtuber, convidando-o para falar sobre a reforma, afim de conquistar a juventude trabalhadora.

quarta-feira 31 de janeiro| Edição do dia

Desesperado por apoio, Temer utiliza bilhões para comprar deputados para que possa aprovar o brutal ataque que significará a reforma da Previdência para os brasileiros. O presidente, que tem 6% de aprovação popular sobre seu governo, partiu para uma empreitada para cativar os brasileiros: procurou Silvio Santos, e apareceu no seu programa para fazer propaganda sobre a reforma.

Agora, Temer procurou também PC Siqueira, um youtuber com bastante visibilidade entre a juventude, convidando-o para fazer propaganda positiva da reforma. Mirando a juventude, principalmente a juventude trabalhadora, Temer busca diversas vias de fazer com que a população brasileira, que rejeita fortemente a reforma, se convença da sua necessidade.

Em sua conta do Twitter, o youtuber escreveu sobre o convite e respondeu: " Não me misturo com golpista". Logo depois, PC deleta a postagem e afirma "Não sei do que são capazes".


Postagem de PC Siqueira explicando porque deletou as anteriores, onde chamava Temer de golpista.

A reforma da previdência destruirá as possibilidades de aposentadoria de todos os brasileiros, e juntamente com a reforma trabalhista, configura um conjunto de ataques que assolam também os jovens, principalmente periféricos, que na busca de renda terão trabalhos precários e se aposentarão aos 70 anos. É preciso que a juventude organizada em aliança com a classe trabalhadora, construa uma forte greve geral, capaz de não apenas revogar e impedir as reformas de Temer.




Tópicos relacionados

Reforma da Previdência   /    Reforma Trabalhista   /    Governo Temer   /    Michel Temer   /    Sociedade

Comentários

Comentar