Internacional

ELEIÇÕES ARGENTINAS

Ótimos resultados da Frente de Esquerda na Cidade de Buenos Aires e Neuquén

No último domingo, dia 26, foram realizadas as eleições na Cidade Autônoma de Buenos Aires (CABA) e na Província de Neuquén. No primeiro caso, foram as primárias obrigatórias para eleger o chefe de governo e os legisladores locais (as eleições serão no dia 5 de julho) e no caso de Neuquén – onde não existem as primárias – ocorreram as eleições gerais para eleger governador e deputados estaduais.

terça-feira 28 de abril de 2015| Edição do dia

A Frente de Esquerda e dos Trabalhadores voltou a ter destacadas intervenções e conseguiu ótimos resultados em ambos os processos eleitorais.

A Frente de Esquerda e dos Trabalhadores na Cidade Autônoma de Buenos Aires (CABA)

Na Cidade, o triunfo foi do PRO (Propuesta Republicana) e dentro da sua interna, se impôs Horácio Rodriguez Larreta sobre Gabriela Michetti; o segundo lugar foi para ECO, do qual ganhou Martin Lousteau; e em terceiro lugar se impôs Mariano Recalde do Frente para la Victoria.

Apesar da dispersão gerada pela apresentação de diversas listas de esquerda nestas prévias de primeiro turno (além da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores, concorriam AyL de Luis Zamora, Camino Popular de Claudio Lozano, quatro listas do MST e o Nuevo MAS), a FIT se posicionou como a quarta força em geral e a primeira da esquerda com 41.250 votos (2,30%) para chefe de governo com a candidatura de Myrian Bregman (PTS), e uma mínima diferença na lista para legislador que encabeçava Marcelo Ramal (PO), com aproximadamente 46.350 votos (2,60%). Dados informados com um pouco mais de 98% das mesas apuradas.

Estes resultados foram alcançados também num marco em que o kirchnerismo apresentou sete listas com um perfil progressista ou de centro-esquerda (mesmo que somadas não chegam aos 20% dos votos); em que não existiam espaços gratuitos e era necessário competir com aparatos que usavam enormes recursos do Estado.

A advogada e dirigente do PTS, Myrian Bregman, se converteu em uma das novas figuras destacadas da esquerda que surgiram nestas eleições. Disputará as gerais de Julho com Zamora, único candidato que superou o piso proscritivo das prévias eleitorais entre as listas da esquerda para o cargo de chefe de governo: trata-se de uma figura tradicional e exclusiva da capital e praticamente sem nenhuma construção política militante.

A FIT conseguiu se posicionar como a primeira força da esquerda com a candidatura de Myrian Bregman, e conseguiu um dos seus objetivos nestas prévias, que era se colocar como “a esquerda na cidade”.

No cargo de legislador, além do desconhecido candidato de Zamora (Pablo Vilardo), também o candidato do Camino Popular, Itaí Hagman, superou o piso exigido. A FIT competirá com eles nas eleições gerais pelo espaço da esquerda.

Estes resultados são um avanço significativo em comparação às últimas eleições executivas de 2011 quando, para chefe de governo e legisladores do distrito, em julho deste ano (sem prévias), a Frente de Esquerda obteve cerca de 14 mil votos na primeira categoria (0,78%) e quase 18 mil votos para legislador (1.01%). No primeiro teve seus votos triplicados e no segundo, mais que duplicados.

Esperamos ainda para ver os resultados que alcançará a FIT nas gerais de julho, onde poderá aumentar seu alcance eleitoral.

Neuquén: Grande eleição e mais deputados dos trabalhadores!

Nas eleições gerais de Neuquén, o Movimiento Popular Neuquino (MPN) se mantinha cômodo, com mais de 37% dos votos. Em segundo estava a Frente para la Victoria com 28%.

Lá, a FIT realizou uma eleição que vai de muito boa - para o cargo de governador - a excelente - nos resultados obtidos para deputados provinciais.

Quando a página oficial mostrava já apuradas 96,28% das urnas, a FIT obtinha para governadora, com a candidatura de Gabriela Suppicich (PO), a cifra de 12.100 votos (3,4%). Na lista de legisladores encabeçada por Raúl Godoy, trabalhador de Zanon e dirigente do PTS, obtinha 35% mais dos votos, alcançando os 16.104 votos (4,7%).

Uma diferença significativa a favor da lista de deputados estaduais que destaca o crescimento da figura de Raúl Godoy entre setores cada vez mais amplos, que veem que este dirigente da emblemática Zanon, que já ocupou a bancada da FIT em um dos primeiros anos, consolida sua trajetória como referente político dos trabalhadores e da juventude.

Com estes números, a lista encabeçada por Godoy conseguia não somente manter a bancada que ocupa a FIT na legislatura provincial, como também somar uma nova cadeira que ocupará Patricia Jure (PO).

Em comparação à eleição executiva de 2011, a lista da FIT obteve naquela oportunidade para a categoria de legislador 10.479 votos (3.87%) e consagrou um deputado. Na categoria de governador havia conseguido 7500 votos (2.72%). Nos dois casos teve um sensível crescimento nas eleições do último domingo que lhe permitiu aumentar sua representação parlamentar.

A consolidação nacional da Frente de Esquerda e dos Trabalhadores

Tomando o conjunto das eleições realizadas até o momento em Salta, Mendoza, Neuquén, CABA (enquanto segue a luta contra a fraude em Santa Fé), mostra-se um crescimento em relação às executivas de 2011 e confirma-se que a emergência da FIT que ocorreu em 2013 impacta nestas eleições executivas, nas que se sustenta sua consolidação nacional.

Mas além disso, rumo às eleições gerais destes estados (com exceção de Neuquén, que não tem primárias), é provável que aumente em todos os distritos os votos que conseguiu nas distintas primárias e possa ampliar sua representação legislativa.

No próximo domingo, 3 de Maio, Nicolás del Caño (PTS) enfrenta as eleições gerais para prefeito da capital de Mendoza, com o 14% obtido nas primárias, e se prepara para dar outra grande notícia à Frente de Esquerda em seu caminho rumo às eleições primárias de agosto e às definitivas de outubro.




Tópicos relacionados

Eleições na Argentina   /    PTS na FIT   /    Internacional

Comentários

Comentar