Internacional

FRENTE DE ESQUERDA NA ARGENTINA

Os resultados em Salta e Mendoza consolidam a Frente de Esquerda

quarta-feira 15 de abril de 2015| Edição do dia

Apenas uma primeira leitura após terminada a apuração das eleições em Salta:
Com estes resultados, a província do Norte se soma à Mendoza na consolidação dos espaços da Frente de Esquerda em seus dois bastiões, apesar da mudança no caráter das eleições.

O resultado das eleições primárias (PASO) na província de Salta expressa um amplo triunfo da Frente Justicialista Renovadora para a Vitória, encabeçada pelo atual governador Juan Manuel Urtubey, que obteve 47% dos votos. Seu triunfo se dá no marco de uma ampla aliança que contém desde a histórica direita saltenha do Partido Renovador, até a corrente Livres do Sul, de Victoria Donda e Alberto Tumini, que, fiéis ao seu “camaleonismo” dos últimos tempos, apoiaram o candidato respaldado pelo Governo Nacional. Em segundo lugar, ficou a Frente Romero + Olmedo, do peronismo opositor, que se referencia em Sergio Massa, ainda que também tenha sido respaldada por Maurício Macri, que obteve pouco mais de 33% dos votos.

No marco de que as duas listas que se referenciam no peronismo conseguiram mais de 80% dos votos e que o radicalismo recuperou algo do seu espaço eleitoral, obtendo pouco mais de 6%, os resultados que está conseguindo o PO-FIT marcam um bom desempenho para a esquerda, apesar de não romperam a polarização das eleições.

O PO-FIT conquista na disputa para governador – com a candidatura de Claudio Del Plá – 7,24% dos votos, enquanto que na capital da província, o deputado nacional Pablo López, como candidato a prefeito, obtém nestas primárias 12,5% dos votos.

Em ambos os casos se colocando como terceira força provincial.

Nas eleições legislativas nacionais de 2013, o PO-FIT conseguiu na PASO de agosto 10,66% dos votos em toda a província, e chegou a 18% nas eleições gerais de outubro. Conquistou 17% na PASO da capital e depois obteve históricos 28% na capital nas eleições para legisladores provinciais realizadas em novembro daquele ano, ficando em primeiro no distrito.

Apesar disso, nas últimas eleições de caráter executivo (sem PASO) realizadas em 2011, havia obtido 2,44% em abril daquele ano para governador e vice; ainda que nas eleições para legisladores nacionais pela província desse mesmo ano havia alcançado 6,42% nas primárias de agosto e 8,53% nas gerais de outubro.
Neste marco, e levando em conta o caráter executivo dessas eleições, estes resultados mostram um bom desempenho em meio a um cenário completamente diferente: menor do que os resultados obtidos em 2013, mas qualitativamente maiores do que o das últimas eleições executivas.

Dessa maneira, o segundo desafio importante que enfrentava a Frente de Esquerda a nível nacional, rumo as PASO nacionais de agosto, foi superado satisfatoriamente.
Precisamos recordar que, nas eleições primárias realizadas em fevereiro passado para prefeito da capital de Mendoza, outro bastião da FIT a nível nacional, o deputado do PTS Nicolas del Caño, obteve 14% dos votos e foi o segundo canditado mais votado (e a FIT a terceira força).

A conclusão que se impõe é que até agora, tanto em Mendoza como em Salta, não se cumpriram as previsões que afirmavam que, por conta do caráter das eleições deste ano (a maioria executivas), a FIT ia retroceder marcadamente para resultados muito mais baixos.

Apesar de como se expressará este fenômeno nas diferentes eleições que virão (no domingo, dia 19, em Santa Fé e outra vez em Mendoza; e no dia 26 em Neuquén e CABA), é importante a consolidação que se dá nos dois bastiões da FIT no marco das eleições executivas: Mendoza e agora Salta. Uma confirmação que se expressa especialmente com históricas votações nas eleições de caráter executivo nos centros urbanos onde se concentra o grosso dos trabalhadores e da juventude.

Na província de Mendoza, a FIT apresenta para as eleições do domingo que vem a jovem senadora Noelia Barbeito do PTS para governadora, encarando o desafio não com o referente mais conhecido da FIT (Nicolás del Caño), mas com uma nova figura jovem que chegou ao senado em 2013.

Os resultados de Salta significam uma ótima votação que consolida e dá impulso para a Frente de Esquerda, que é a única alternativa independente da classe trabalhadora em todo o país.




Tópicos relacionados

Eleições na Argentina   /    PTS na FIT   /    Internacional

Comentários

Comentar