Internacional

GREVE CONTRA VIOLENCIA POLICIAL

Os portos de Oakland paralisarão em repúdio ao assassinato de Freddie Gray

Neste primeiro de maio os trabalhadores portuários de Oakland paralisarão os portos em repúdio ao assassinato de Freddie Gray e à violenta repressão policial em Baltimore. O assassinato do jovem afro-americano de 25 anos pelas mãos da polícia em Baltimore, provocou uma nova onda de indignação e protestos contra a violência policial e o racismo. Na segunda-feira passada (27), Larry Hogan, o governador de Maryland declarou Estado de Emergência para a cidade, impondo um toque de recolher e convocando a guarda nacional para reprimir os manifestantes. Esta notícia voltou a gerar indignação na população afro-americana e nos trabalhadores.

sábado 2 de maio de 2015| Edição do dia

Este primeiro de maio, Dia Internacional dos Trabalhadores, será comemorado de uma maneira muito particular no porto de Oakland. É a primeira vez em mais de uma década que um sindicato decide paralisar em solidariedade às causas do povo negro.

Os estivadores do porto de Oakland – membros do International Longshore and Warehouse Union – convocaram uma paralisação portuária, uma reunião e uma marcha para o dia primeiro de maio, com o objetivo de chamar a atenção nacional para a violência policial e o racismo sob o lema “Labor against police terror” (Trabalho contra o terror policial).

No comunicado dizem que “o terrorismo policial nos Estados Unidos está fora de controle. Fomos testemunhas de incontáveis casos de brutalidade policial e assassinatos de pessoas inocentes e desarmadas pelas mãos da polícia. Estes ataques foram dirigidos principalmente contra a comunidade negra. Nós, como trabalhadores sindicalizados e não sindicalizados, igualmente, não podemos esperar e ficarmos insensíveis a estas grandes injustiças”.




Tópicos relacionados

Racismo EUA   /    Internacional

Comentários

Comentar