Juventude

FRANÇA

Os estudantes secundaristas franceses protagonizaram o dia de greve geral

Centenas de milhares de estudantes e trabalhadores participam nas 200 concentrações previstas para hoje contra a reforma trabalhista do governo socialista. A juventude secundarista está presente fechando as escolas.

sexta-feira 1º de abril de 2016| Edição do dia

Pela manhã, o Ministério da Educação Nacional comunicava o “declínio da mobilização estudantil”. Uma campanha midiática para esconder a dinâmica atual...mas tem sido em vão.

O Ministério assegura que nenhuma ordem tem sido dada aos diretores para encerrar os trabalhos administrativos. Porém, isso é o que tem acontecido de fato. Apesar disso, na região parisiense, ao menos 50 estabelecimentos foram bloqueadas pelos estudantes, parcial ou totalmente, desde essa manhã, e 25 foram fechadas.

Algumas novidades ocorreram, igualmente na região parisiense, onde houve incidentes nos prestigiosos Institutos Henri IV e Luís, o Grande, da montanha de Santa Genoveva. Do lado do extrarrádio e os institutos populares, a situação é extremamente tensa, e a detenção do policial que havia batido em um estudante secundarista de Bergson na semana passada, destinada a fazer baixar a pressão, não muda em nada os fatos. Em Bergson, é certo, ainda que o instituto tenha ficado aberto esta manhã, uma grande parte dos professores estão em greve.

A repressão não tem baixado, como demonstram os enfrentamentos, como o ocorrido no teatro instituto Galileu no município de Gennevilliers (92), após as provocações da BAC (Brigada Anti Criminalidade), enquanto várias detenções têm sido feitas no instituto Condocet, em Paris. Os jovens haviam lançado projéteis sobre os agentes, segundo a polícia...

Na província, os estudantes secundaristas se mobilizam igualmente desde a abertura (ou a não-abertura) dos estabelecimentos, pouco antes das 8:00. Na Baixa-Normandia, uma grande mobilização acontece em Caen, especialmente com o bloqueio do principal estabelecimento da região, o instituto François Malherbe. Em Nantes, nove institutos estão bloqueados nesta manhã. Do lado da região Centro Vale-de-Loire-Pays de La Loire, os estudantes estavam muito mobilizados igualmente em Anger, em Tours, junto com a universidade da cidade, como cabeça do movimento, assim como em Mans, onde os jovens marcham sobre as margens do Sarthe, apesar da chuva persistente. Em Lyon, varias centenas de secundaristas se manifestam desde de manhã antes de se juntarem com o cortejo central que se dirigia no início da tarde para a praça Bellecour.

Se o governo contava com um declínio da mobilização dos jovens, o dia de luta começou mal...para o executivo. Os secundaristas parisienses, concentrados na frente da Biblioteca Nacional, que acabaram sua assembleia geral ao meio-dia, saem da manifestação, com os estudantes, para se unirem com os trabalhadores da saúde do hospital Pitié Salpêtrière.




Tópicos relacionados

Juventude   /    Internacional

Comentários

Comentar