Sociedade

Os canais de Veneza voltaram a ser cristalinos por causa da paralisação do turismo

Viralizou recentemente nas redes sociais videos que mostram como a agua dos canais venezianos tornou-se mais clara. Inclusive registrou-se a aparição de peixes, patos e cisnes.

sexta-feira 20 de março| Edição do dia

Muitos usuários de redes sociais compartilharam, surpreendidos, postais que mostram os canais da emblemática cidade como a décadas não se via: Água clara, peixes e até a presença de cisnes. Isso se deve à abrupta paralisação da atividade turística, que resultou em menos gondolas e menos cruzeiros navegando nas cercanias: “A água agora está mais clara porque há menos tráfego nos canais, o que permite que o sedimento permaneça no fundo”, explicaram a partir do escritório do prefeito da cidade à CNN.

Veneza, como toda a Itália, está sob quarentena obrigatória por causa da onda de contágios de COVID-19, que já deixou milhares de infectados e mortos no país do velho continente: 31.506 casos confirmados, 2.503 mortes e 2.941 recuperados, até o dia 18 de março, segundo o Coronavirus Resource Center da Universidade John Hopkins.

Não são poucos os que compartilharam publicações com sentenças apresadas como “a pior pandemia é o ser humano” ou “o problema é o ser humano”. Mas é a atividade humana, em abstrato, o que provoca a poluição? Ou é a atividade humana determinada por um sistema econômico irracional específico? A primeira vista as duas perguntas parecem redundantes, porém nada é mais longe da realidade. A afirmação da primeira da lugar a “saídas” utópicas e reacionárias como o controle coercitivo da natalidade ou a idéia louca da extinção da humanidade como a solução para os desastres ambientais. A segunda afirmação defende que a saída é mais profunda e implica derrubar as bases do sistema capitalista.

A questão das responsabilidades sobre a contaminação do planeta nunca estiveram tão claras (como as águas dos canais): Os humanos seguem existindo, seguimos sendo ao redor de 7 bilhões e 750 milhões de habitantes em nível mundial. Ainda assim, os canais de Veneza amanheceram vistosamente mais cristalinos e com fauna que fazia tempo não era avistada. O que levaria a pensar que isso de que “somos o verdaeiro vírus”, generalizando e abstraindo a espécie humana, não tem muita base na realidade.

O que sofreu profundas quedas esses dias é a economia capitalista, com quedas sem precedentes em todas as bolsas do mundo, razão pela qual os governos dos principais países anunciaram resgates milionários para suas empresas e, como não podia ser de outra maneira, são os milhões de trabalhadores e pobres os que pagarão com os pratos vazios.

A economia capitalista mergulhando deu um “respiro” a paisagem veneziana

No caso particular de Veneza, o que proporcionou o clareamento da água e a aparição de peixes e cisnes é a abrupta paralização da atividade turística que significou menos gondolas e cruzeiros navegando nas proximidades dos canais e permitiu que o sedimento, normalmente suspenso, ficasse no fundo.

O negócios dos cruzieros não é menor, representa aos empresários lucros superiores a 400 milhões de euros anuais (3% do PIB) Veneza funciona como ponto de partida ou de chegada desses “arranha-céus” marítimos porque, além de ser uma grande atração para os turistas, conta com o segundo maior porto da Itália. Existem várias organizações, como o comitê No Grandi Navi (Não aos grandes barcos), que protestam a anos para que esses cruzeiros não se aproximem dos canais venezianos, pois argumentam que os cruzeiros poluem o meio-ambiente e destroem a beleza da paisagem.

Com isso tampouco estamos defendendo que a saída seria a “depressão da economia” que, como contraparte, impacta principalmente o povo trabalhador e pobre. É possível uma gestão racional, sustentável e planificada do turismo? Claro, sempre e quando acabar a anarquia do mercado, que somente tem em conta os lucros dos capitalistas.

Então, voltemos as perguntas mencionadas no início do artigo: É a atividade dos “humanos” em geral, como ente a-histórico, o responsável de que os canais de Veneza estejam normalmente nublados? Ou é, ao contrário, produto de um sistema que prioriza os negócios de um punhado de empresários que, em busca de mais lucros, destroem com sua passagem a beleza das paisagens? Vocês responderão.




Tópicos relacionados

Coronavírus   /    Venezuela   /    Sociedade   /    Meio Ambiente

Comentários

Comentar