Educação

PROFESSORES DE SP

Oposição Alternativa discute a plenárias unificadas das oposições

terça-feira 28 de julho de 2015| Edição do dia

Em meio a discussões sobre a situação nacional, a crise econômica e os ataques dos governos aos trabalhadores, o MRT propôs um chamado à construção de uma plenária de toda a oposição de professores, convocando o Bloco de Oposição e todos os setores anti governistas que durante a greve lutaram contra a burocracia da CUT para preparar um plano de lutas contra os ataques aos trabalhadores que estão por vir. Essa plenária terá o objetivo de se dirigir às demais categorias exigindo que a CUT e as demais centrais sindicais rompam com o governo e organizem a luta dos trabalhadores que já sofrem com as demissões, cortes de direitos e a precarização do trabalho.

Mais uma vez o MRT e o Grupo Professores pela Base expressamos que em meio ao surgimento de centenas de novos ativistas, atuando contra a truculência de Geraldo Alckmin e Herman, consideramos que a única maneira que a greve poderia se massificar e se manter, seria através de uma coordenação dos comandos de greve que fosse e a direção central da greve, fazendo com que os professores que estavam construindo a greve todos os dias e em cada escola pudessem decidir efetivamente os rumos da luta. Só assim a direção de Bebel e toda a burocracia da Articulação estaria de fato questionada, levar esse ensinamento até o final é que permitirá organizar os professores em outro patamar e preparar as próximas batalhas.
Infelizmente, as demais correntes que compõe a Oposição Alternativa, continuam negando esse como um aspecto central do balanço. Por um lado justificam que a Articulação dirige o sindicato majoritariamente e por outro chegam a defender que acabar com o “fora Bebel” foi correto para garantir a unidade da greve. Porém essa unidade sem um questionamento profundo dessa direção burocrática e sua busca por se relocalizar frente a base dos professores foi o que levou a greve a um beco sem saída, já que os professores combativos não enxergavam nenhuma alternativa.
Fazer o balanço e tirar lições tem que nos levar a organizar desde já uma alternativa real aos professores, por isso fazer uma plenária com os setores de oposição e buscar a unidade imediata com as demais categorias de trabalhadores é uma tarefa para já.
A plenária da Oposição Alternativa votou a incorporação dos debates do dia 30 de agosto no Espaço de Unidade e Ação contra o PPE e votou uma comissão para elaborar um jornal e distribuir para os professores.

Ao final o professor Edgard Fernandes pediu a palavra e parabenizou o MRT pela audácia de se dar seriamente a tarefa de construir uma alternativa revolucionária para os trabalhadores no Brasil e pelo pedido a partir de votação em congresso de entrar no PSOL e construir uma corrente interna em defesa das ideias revolucionárias nesse partido.




Tópicos relacionados

Educação

Comentários

Comentar