Sociedade

CAMPINAS

Operação policial impede vendedores ambulantes de trabalharem no entorno do HC

Hoje, desde as 4 da manhã na Unicamp, na frente do Hospital das Clínicas, ocorreu uma operação policial contra o comércio dos ambulantes.

quinta-feira 10 de agosto| Edição do dia

Imagem da EPTV

Desde bem cedo, as viaturas da Guarda Municipal, junto a SETEC e a guarda do Campus, foi montado uma operação que cercava todo o entorno do hospital, visando não permitir que os ambulantes pudessem se organizar ali para vender as suas mercadorias.

A operação policial contou com 18 viaturas da GM, um aparato brutal para retaliar aqueles que querem apenas ter um meio de sobrevivência. Em um momento em que o desemprego está em alta no Brasil, muitos recorrem ao que conseguem fazer, vendem nas ruas porque inclusive não tem como pagar todos os impostos e regulações que precisa para se vender em um dos estabelecimentos dentro da universidade, que tem aluguéis caríssimos, e concessões difíceis de obter. Sendo que muitas delas já tem a concessão de antes, a partir de acordos com a universidade.

Com preços absurdos oferecidos pelos estabelecimentos do Campus, a população sente falta dos ambulantes que estão ali, por mais que sem supervisão de higiene dentre outras exigências, para que muitos consigam ter acesso a algum tipo de alimentação a um preço mais justo. Inclusive um dos ambulantes presentes, mostra um abaixo-assinado com mais de 500 assinaturas que explicita os preços abusivos do entorno, além da demanda da população que frequenta o hospital e tem que enfrentar horas de fila a uma alternativa mais acessível.

A operação de hoje surpreendeu vários ambulantes que perderam as suas mercadorias e o investimento que fizeram naquilo que representa a renda de sua família, sem nenhum tipo de aviso prévio. Frente a isso, os trabalhadores quiseram distribuir as mercadorias gratuitamente já que não poderiam vender, o que gerou confusão porque a SETEC não queria permitir, justamente porque o maior intuito da operação não é de fato pela preocupação com o bem-estar e qualidade das mercadorias e sim garantir que o convênio das lanchonetes e demais restaurantes e alugueis pagos na região continuem como única forma o comércio.

Essa operação que ocorreu hoje na Unicamp, na região do HC, não é uma política isolada. Há algum tempo atrás, podemos lembrar da retirada dos vendedores ambulantes dos diversos terminais de ônibus, principalmente o do Campo Grande e Ouro Verde. Todos que circulam pelos terminais com certeza presenciaram seja a forma como a GM abordava os vendedores, a sua própria retirada dos terminais, ou mesmo foi percebendo como de repente foram surgindo a cada dia mais vendedores, e de um dia para o outro o terminal estava completamente vazio. Para onde vão essas pessoas, que de alguma forma estão tentando sobreviver a este momento, em que cada vez mais a crise é colocada para cima dos trabalhadores? Ao invés de pensar como resolver o problema do desemprego, pensar em como esses trabalhadores podem ter alternativas de emprego, eles apenas são proibidos de atuar nas ruas.




Tópicos relacionados

Campinas   /    Unicamp   /    Sociedade   /    Campinas

Comentários

Comentar