Educação

FSA

Ocupação da FAFIL faz reitoria prometer a revogação do aumento das mensalidades de 6,5%

Na última sexta-feira (10), alguns representantes dos alunos presentes na ocupação da FAFIL tiveram uma reunião de aproximadamente 3 horas com a reitoria, na qual foi marcada uma reunião do conselho diretor (CONDIR) para terça-feira (14) às 9 horas, em que se discutirá a revogação do aumento das mensalidades a maior flexibilização dos acordos com os alunos inadimplentes, com o parcelamento da dívida em até 72 vezes, e a abertura dos livros caixa do centro universitário, com o intuito de possibilitar a análise e auditoria dos alunos e professores.

segunda-feira 13 de novembro| Edição do dia

Já em assembleia realizada pelos estudantes na mesma sexta feira, nove conselheiros, de um corpo de treze se comprometeram publicamente a votarem a favor da revogação do aumento de 6,5% das mensalidades, mediante a desocupação do prédio para a realização da prova do ENEM, sendo eles: Simone Jaconetti Ydi (Presidente da reunião); Professora Herminia Moraes dos Santos (Diretora do Colégio); Eliana Marques Barbosa Gomes (representante dos pais do colégio); Professor Rodrigo Cutri (Representante dos docentes do centro universitário); Professor Vanderlei Mariano (Representante dos docentes do centro universitário); Denis Mota das Neves ( Representante dos discentes do centro universitário); Kleber Okumura Paiva ( Representante dos sindicatos e demais segmentos sociais); Marcia Teixeira Garcia ( Representante dos funcionários técnico-administrativos) e Humberto Costa Sobrinho (Representante dos trabalhadores do município).

Veja o vídeo da Assembleia:

Ao serem questionados sobre utilizarem a palavra “Suspenção” ao invés de “Revogação”, a professora Simone respondeu que não teria o poder de decisão quanto a isto e que somente na reunião do CONDIR é que poderia ser votado, sendo assim somente então seria possível se falar em revogação de fato, todavia, salientou que 9 conselheiros, de 13, se comprometeram a votar a favor da revogação e, portanto, já podíamos entender esta conquista como certa. Mostrando, desta forma, uma tentativa de se esquivar da pergunta original, desta maneira o plenário voltou a questionar os conselheiros para que declarassem de maneira clara e objetivo que votariam sim pela revogação do aumento e mais uma vez os conselheiros declararam seus votos.

Pode te interessar:
Prédio da FAFIL ocupado por estudantes contra o aumento das mensalidades

Dito isto, os representantes do CONDIR se retiraram para que os alunos pudessem dar continuidade à assembleia, na qual ficou decidido o recuo da ocupação até terça-feira, mantendo-se o estado de greve, o que significa que não serão canceladas as atividades do centro acadêmico até a realização da próxima assembleia dos estudantes que ocorrerá na terça-feira às 20hrs no pátio da FAFIL que terá como pauta central a redução das mensalidades.

O movimento estudantil deve romper com a burocracia para avançar por mais!

A luta efetiva utilizando os métodos da nossa classe explicitou provas concretas que por meio da radicalização o movimento estudantil pode ser vitorioso. A reitoria já demonstrou, com suas ações, a sua inconfiabilidade, sendo necessário que os alunos realizem pressão em todas as reuniões nas quais ocorram votações que afetem os estudantes.

A assembleia de sexta-feira (10) acabou por se polarizar no debate entre continuar a ocupação da FAFIL, com o intuito de manter a pressão na reitoria até a reunião de terça, ou recuar e desocupar o prédio, a fim de se garantir a possibilidade de se alcançar as vitórias conquistadas. Não obstante, a mesa que mediou à assembleia demonstrou desde início a sua predileção por um dos lados do debate, além de que pareceu, em alguns momentos, expressar a intenção de conquistar somente as reivindicações mínimas, ou seja, a miséria do possível já parecia ser o suficiente.
Desta maneira entendemos que os simples levantamentos dos problemas burocráticos não ampliaram o debate para que a luta se massificasse de maneira qualitativa, acabando por polarizar e não refletir os caminhos concretos para se buscar a redução das mensalidades.

Diferente deste setor, entendemos que a desocupação, naquele momento, poderia ser uma tática válida a ser utilizada, visando-se garantir a possibilidade desta mínima vitória, mas tendo-se a finalidade de se avançar pela maior integração estudantil efetiva ao movimento. Em outras palavras, mesmo que ficando claro que estas conquistas não contemplam todas as nossas reivindicações, devemos usa-las como arsenal vivo, para massificar ainda mais o movimento e chegar a todos os estudantes da Fundação Santo André, principalmente aqueles que ainda não tem o convencimento politico que a luta concreta se plasma em vitória real.

Pode te interessar: Conselho Universitário dá passos para o fechamento da Fundação Santo André

Mostrando assim que somente a luta e o enfrentamento nos trarão conquistas. Por isto, desde já é extremamente importante efetivar um comitê de mobilização para seguirmos por mais:

Pela redução de, no mínimo, 50% das mensalidades, bolsas que garantam acesso estudantil a todos os estudantes, pela rematrícula imediata dos inadimplentes e abertura de todos os cursos, independentemente do número de inscritos.
A FSA é pública e deve, em absoluto, cumprir seu caráter pedagógico sem visar fins lucrativos!

Portanto, chamamos todos os estudantes a compor imediatamente o comitê de mobilização e se aliar à classe trabalhadora, convidamos também a comparecer nesta próxima terça-feira (14), às 9h na FSA, para pressionar a reitoria e demais conselheiros na reunião do CONDIR e participar da assembleia geral, às 20h, na qual serão deliberados os próximos passos do movimento.




Tópicos relacionados

Educação   /    Juventude

Comentários

Comentar