Sociedade

OLIMPÍADAS

Obras das Olimpíadas são finalizadas às custas da precarização dos trabalhadores

Carolina Cacau

Foi candidata a vereadora do MRT em 2016, é estudante da UERJ e professora da rede estadual.

quinta-feira 28 de julho de 2016| Edição do dia

Nesta quarta-feira (27), o Ministério do Trabalho e Emprego, fez uma fiscalização nas obras dos apartamentos que passam por reformas, e identificou irregularidades. Os trabalhadores estariam sem seus direitos garantidos, sem carteira assinada ou contratos temporários e com carga horária acima da permitida. Segundo o auditor fiscal Hércules Terra, a carteira de trabalho é uma garantia para os trabalhadores, que estão descobertos caso ocorra qualquer tipo de acidente com eles, são aproximadamente 630 empregados que estão nessa situação, expostos á regimes de trabalho excessivos.

O Ministério do Trabalho e Emprego informou que vai multar o Comitê Rio 2016 devido às condições dos funcionários em obras da Vila Olímpica. O valor da multa é de aproximadamente R$ 500 por empregado, que daria algo em torno de R$ 315 mil. O Comitê alega que o a atuação do Ministério Público é um descumprimento dos acordos firmados com a Rio 2016, pois eles precisam primeiro analisar os documentos. Contundo os fiscais relatam que o comitê tem omitido essas documentações e por isso também serão atuados também por embaraço fiscal. Apesar da autuação e da possível multa, os trabalhos não serão paralisados porque não foi identificado gravidade e risco eminente nas condições de trabalho dos funcionários.

Esta é mais uma amostra que as Olimpíadas só servem para enriquecer os empresários, e que vai acontecer ás custas da precarização do emprego e das condições de vida dos trabalhadores. O legado das olimpíadas é só miséria e desemprego e os organizadores do evento baseiam o lucro neste trabalho precário e no trabalho gratuito que milhares de voluntários realizam nos eventos dos jogos. E a sede de lucro do COI e de seus parceiros é tão grande que no começo do ano ’demitiram’ 20 mil voluntários para não ter que arcar com a manutenção mínima desses voluntários.

Neste momento de crise econômica, e com o grande aumento de desemprego no pais, é natural que a população veja como uma oportunidade os postos de trabalho criados para garantir os Jogos Olímpicos. Mas o que pouco se fala é que esses trabalhos são o espelho do aumento de emprego criados nos 13 anos do PT no poder pela via da terceirização, flexibilização do trabalho e principalmente das leis trabalhistas. Ou seja, o que está por trás disso são as péssimas condições de trabalho, carga horária superior á determinada por lei, baixos salários e nenhum tipo de proteção aos trabalhadores. Isso ainda piora por grande parte desses trabalhadores não terem perspectiva de manterem seus empregos após o término das olimpíadas. A prefeitura e o Governo do Estado não tem nenhum plano para realocação desses trabalhadores, que em setores como Construção civil tem previsões de demissões em massa colocando dezenas de milhares de trabalhadores novamente no desemprego.




Tópicos relacionados

Olimpíadas   /    Sociedade   /    Rio de Janeiro   /    Mundo Operário

Comentários

Comentar