Sociedade

O festejo mortífero e a destruição da natureza

quarta-feira 3 de janeiro| Edição do dia

Muita gente compra um terreno ou mesmo uma uma chácara nas zonas rurais dizendo gostar de curtir a natureza!

Mas a primeira medida que toma é derrubar a mata pra fazer uma casa e plantar grama em sua volta, depois derrubam mais mata pra fazer uma quadra e plantar mais grama em sua volta, dai despejam todo o seus esgotos nos lagos ou riachos naturais, onde poderiam nadar, e derrubam mais mata pra fazer uma piscina artificial.

E assim, as possibilidades dos nossos netos e netas terem alguma natureza pra curtir, ou mesmo para lhes assegurar, a água potável e o próprio oxigênio, vitais para a sobrevivência da nossa e demais formas de vida, se reduzem drasticamente, dia após dia.

Porem, essa é só uma das faces do problema; há outras: os festejos e comemorações!

Já explico! Por alguma razão, a maioria das pessoas sentem um enorme prazer e soltar fogos durante os festejos natalinos, ano novo, fim de campeonatos, vitorias de seus times, etc. Nas cidades, essa imbecilidade causa grande sofrimento para crianças recém nascidas e pessoas idosas, alem dos animais domésticos. Prova disso são os registros de morte de idosos, que sofreram infarto devido ao susto causado por estrondo de rojões. Mas na mata os fogos de artificio causam tragedias ambientais.

Se não todos os animais, pelo menos a maioria dos mamíferos, e das aves silvestres, procriam na primavera! Por isso na época do natal e do ano novo as fêmeas estão ou amamentando filhotes ainda pequenos e totalmente dependentes delas, ou ainda estão prenhes. Por sua vez a maioria das aves silvestres, estão chocando seus ovos ou alimentando seus filhotes nos ninhos.

Mas toda essa beleza e alegria natural não é suficiente pra uma certa especie animal que, para sentir-se feliz, necessita provocar e ouvir as explosões dos fogos de artifício. Não passa pela mente dos imbecis que suas explosões de estupides provocam tal panico entre os animais silvestres, que mães e filhotes acabam separados em seu panico e em sua tentativa de fuga desesperada, não pensam e, se pensam, não se preocupam com o fato de muitos filhotes separados de suas mães morrerem vitimas de predadores ou incapazes de se alimentarem sozinhos, ou mesmo morrerem de fome em seus ninhos abandonados por pais em fuga ou feridos ou mesmo mortos.

E assim, nossos netos e netas tem cada vez mais reduzidas as suas chances de terem natureza pra curtir, água potável pra beber e oxigênio pra respirar, pois não há floresta sem mamíferos e aves silvestres para replanta-las e sem insetos e aves que façam a polinização, e tão pouco haverá água potável em abundancia onde não haja as florestas.

As tarefas se dão em duas frentes, simultâneas: Combater e derrotar o capitalismo e os capitalistas donos das industrias que poluem a atmosfera, o solo, os rios e os lençóis freáticos, abolir as madeireiras e as mineradoras que devastam florestas e subsolo na sua exploração gananciosa e descontrolada dos recurso naturais. Mas também é necessário educar todos os homens e mulheres, de forma que esses possam educar seu filhos e netos, até que todos entendam de uma vez por todas, que nós também somos animais, e que, apesar de termos aprendido a transformar a natureza, ainda somos totalmente dependentes dela, em todos os sentidos, pois, afinal, também somos, filhos da mãe natureza!




Tópicos relacionados

Sociedade

Comentários

Comentar